Share Button

 

Capa (2)

Quem disse que os jogos Adventure “morreram”? Pois nos últimos tempos há vários estúdios que produzem jogos do gênero, seja com o estilo clássico do aponte e clique que agrada aos fãs de jogos “old-school”, ou também introduzindo inovações.

Que o gênero está longe do seu auge como era nos anos 90 é uma realidade, mas também é verdade que os jogos continuam sendo produzidos até hoje, visto que o estilo focado na narrativa e resolução de enigmas agrada a uma parcela significativa do público. Como nós da Gamehall somos entusiastas do gênero, trouxemos 10 jogos “Adventure” que você precisa jogar. Se liga!

OBS: Não estão em ordem de importância. 

Brothers: A Tale of Two Sons

Provavelmente um dos mais conhecidos desta lista, o jogo produzido pela Starbreeze Studios se destaca entre os demais pela sua narrativa melancólica , mas que não cai no brega e nem no careta. Particularmente, ele está na minha lista de games mais imersivos que joguei, com uma história realmente envolvente, e diversos amigos compartilham da mesma opinião.

Fora que tecnicamente ele é ótimo: um belíssimo mundo tridimensional, trilha sonora memorável e que combina com as circunstâncias e cenários, além de enigmas com dificuldade na medida certa, sendo lógicos, e não chegam a ser frustrantes.

Seu principal defeito é justamente a curta duração, visto que a experiência é tão envolvente que dá uma vontade de “quero mais”. Mas talvez seja melhor assim, visto que se esticassem, poderia perder grande parte do seu brilho.

Broken Sword 5: The Serpent’s Curse

Depois de oito anos sem um jogo inédito da série Broken Sword, em 2014 a Revolution Software lançou o quinto episódio da clássica série aponte e clique.

Recebendo um financiamento do Kickstarter, a produtora optou por um visual 2D com belos cenários pintados a mão, similar aos dois primeiros jogos da franquia, e com personagens em 3D com o efeito cel-shaded.

Misturando ficção com fatos históricos, personagens carismáticos, excelente dublagem, enigmas divertidos, e um bom ritmo da aventura, Broken Sword 5: The Serpent´s Curse é obrigatório para os fãs de aponte e clique.

Tesla Effect: A Tex Murphy Adventure

A série Tex Murphy é daqueles antigos jogos de computador que atualmente poucos ouviram falar, porém possui um público bastante fiel, principalmente os adolescentes e jovens adultos dos anos noventa. Eles ficaram conhecidos pelo clima sci-fi e um sistema em primeira pessoa com personagens em live action (atores reais) interagindo com cenários tridimensionais. A  primeira leva de jogos existiu entre 1989 a 1998, quando foi lançado o último da série original.

Em 2014 a Big Finish Productions (chefiada pelo Chris Jones, designer dos jogos mais famosos da franquia) lançou um título inédito que dá continuidade a saga depois de uma campanha no Kickstarter. Tesla Effect é uma carta de amor aos fãs antigos, possuindo todos os atributos e também as limitações dos jogos originais, “transpirando” um estilo clássico em todos os níveis.

O clima bem humorado dos jogos se mantém, aliado ao gameplay em primeira pessoa com interação de atores, uma bela trilha sonora que casa perfeitamente com as circunstâncias, e diversos finais que aumentam o fator replay. É verdade que os novos jogadores podem achar o jogo um pouco “antiquado demais”, mas os fãs de aponte e clique antigos devem pegá-lo.

The Wolf Among Us

Dividido em cinco capítulos, este game da Telltales é aconselhável não só para os fãs do gênero, mas para os gamers em geral. Os gráficos são muito legais, com cidades noturnas e uma atmosfera “dark” casando perfeitamente com a trama, que também é muito boa.

Some isso a uma ótima reviravolta na história, dublagem excepcional, personagens memoráveis, e cenas de ação empolgantes, e você tem uma ótima aquisição.

No entanto, as vezes a história se estende um pouco “demais”, o que pode cansar os mais impacientes, além de que os capítulos em si são um pouco curtos, valendo mais a pena pegar os cinco de uma vez.

The Cave

Do estúdio Double Fine Productions e publicado pela SEGA, o jogo foi escrito e dirigido por Ron Gilbert, ex funcionário da LucasArts que tem seu nome creditado em diversos clássicos da empresa do George Lucas, entre eles Maniac Mansion, Monkey Island, Indiana Jones The Last Crusade, e outros.

Por isso mesmo, é perceptível algumas influências destes jogos em The Cave, principalmente do Maniac Mansion, visto que no início do jogo você pode escolher entre sete personagens, e cada um deles tem seus próprios enigmas e áreas exclusivas.

Também há um sistema co-operativo, e você pode jogar com os amigos, além de cenários criativos e belos gráficos. The Cave é uma bela aquisição para os fãs do gênero.

The Vanishing of Ethan Carter

Criado por um estúdio polonês conhecido como The Astronauts, este game mistura horror com um mundo aberto, indo na contramão dos jogos do gênero que, em sua grande maioria, são mais lineares.

O objetivo é explorar a fictícia Red Creek Valley para encontrar pistas e solucionar um mistério. Basicamente você assume o papel de Paul Prospero, um detetive com habilidades paranormais que recebe uma carta de um jovem que também é paranormal chamado Ethan Carter, levando o detetive até a cidade.

Com uma atmosfera interessante e uma história bacana, além de inovar no gênero, ele deve ser jogado até mesmo por aqueles que não curtem tanto o estilo. Além disso, ele é relativamente fácil, mas por algum motivo isso não incomoda.

Goodbye Deponia

Provavelmente produzido por fãs da antiga LucasArts, “Goodbye” é o game que fecha a trilogia “Deponia”. Lançado em 2013 e desenvolvido pela alemã Daedalic Entertainment, é visível a inspiração nos jogos da LA: gráficos cartunescos, boa dublagem,  doses de comédia, e uma história bacana com uma reta final empolgante.

É verdade que as vezes a trilha sonora fica repetitiva, e algumas piadas são de mau gosto, e ao invés de “arrancar”  gargalhadas, fará você levar os olhos para cima com cara de “Afe!”.  Também há alguns enigmas que mais frustram do que divertem, mas no geral o saldo é positivo, e os fãs do gênero devem dar uma chance ao game.

The Night of the Rabbit

Também da Daedalic Entertainment, o grande destaque deste game são os gráficos e a animação dos personagens, transmitindo um visual bem bonito e agradável.O jogo tem bom ritmo, enigmas inteligentes (daqueles que quando você resolve você se pergunta: “Como não pensei nisso antes?!”), excelente dublagem, e um protagonista bem carismático.

No entanto, diferente dos outros títulos desta listagem, este game se destaca mais pelo gameplay do que pela história em si, já que conta com antagonista “sem sal”, e em alguns momentos você terá vontade de pular os diálogos para continuar jogando. O enredo não chega a ser ruim, e diverte em alguns momentos, mas definitivamente não é o ponto alto do jogo. Mesmo assim, está recomendado.

The Walking Dead: Season Two

Dando sequência ao bem sucedido jogo baseado na série de TV, a Telltale Games lançou uma segunda temporada do jogo baseado na série de zumbis, novamente dividida em cinco episódios. Apesar de não ser tão épico quanto o primeiro, ele ainda consegue ser bastante competente, e é divertido o suficiente para estar nesta lista.

O clima tenso, aliado a multiplicidade de escolhas durante a aventura, além de um bom ritmo entre o gameplay e a história, fazem dele uma ótima pedida. No entanto, aconselho a pegar os cinco episódios de uma vez, visto que isoladamente eles são muito curtos, geralmente não durando nem duas horas.