Share Button

Fazer uma listagem de jogos do Mega Drive não é nada fácil! É tanto clássico “pra lá” e “pra cá” que selecionar os que se destacam é sempre alvo de polêmicas, com diversos comentários (mais do que justos)  de “Ei, você esqueceu tal jogo!” “E o jogo tal?”.

É engraçado que até pra mim foi assim, visto que comecei pensando em 10 jogos do Mega, mas eventualmente disse “nããããooo… vou acrescentar mais este também que é imprescindível, e vão ser onze jogos”, depois “‘peraí…’ este também não pode faltar! (risos)” e a lista foi aumentando até chegar ao número 16, quando eu disse “Proibido aumentar esta lista!”. Por isso, se liga em 16 jogos do Mega Drive que todo retrogamer deveria dar uma olhada. E claro, se um jogo que você curte ficou de fora, deixe nos comentários.

PS: Não estão em ordem de importância

16 – Alladin (1993 – Virgin e SEGA)

alladin1

Esse jogo ficou muito conhecido no Mega Drive por ser considerado superior a versão do Super Nintendo, mesmo com o console da BigN tendo especificações técnicas um pouco melhores que o videogame da SEGA. Com belíssimos gráficos, ótima jogabilidade, cenários variados, nível de dificuldade elevado, porém justo, além de um ótimo ritmo entre as fases, este é um jogo que todo gamer deveria jogar.

15 – Golden Axe (SEGA 1989)

golden-axe

O universo de Golden Axe remete ao filme Conan O Bárbaro estrelado pelo Arnold Schwarzenegger, e parece que é proposital. Do gênero beat´en´up muito comum na época, mas se passando na época dos vikings. Originalmente lançado para arcades, o jogo teve uma excelente conversão para o Mega Drive e é considerado um dos grandes clássicos do videogame. Dos 3, o mais marcante é o primeiro, apesar de tecnicamente o terceiro ser o melhor.

14 – Shining Force II (1994 – Camelot)

shining_challenge

Shining Force é uma sub-série da franquia Shining. Diferente do Shining in the Darkness que era um estilo de RPG arcaico, a série Force focava em ser um de estratégia. O primeiro game foi o grande responsável pela divulgação deste gênero aqui no ocidente, visto que lá no Japão ele já era conhecido pelo lançamento do primeiro Fire Emblem no Nintendinho 8bits.

Pela representatividade, o primeiro talvez fosse a melhor escolha nessa lista, mas o segundo consegue lapidar e melhorar todos os aspectos do primeiro, tornando uma experiência muito mais divertida, com todos os pontos melhorados e potencializados. Quem gosta de RPG tático, precisa conhecer este game.

13 – Street of Rage II (1993 – SEGA)

streets-of-rage-2

O game ganhou fama com seu estilo de pancadaria em cenários urbanos, gritos com vozes roucas, e uma das melhores trilhas sonoras do Mega Drive graças ao inquestionável talento de Yuzo Koshiro. Dos três, o segundo é considerado o melhor, mas verdade seja dita: ele não é bem uma continuação do jogo original, mas sim uma releitura turbinada do primeiro jogo.

Já na primeira fase vemos isso, com cenários idênticos, com os mesmos inimigos com gráficos melhorados e por aí vai. Mesmo pecando em originalidade, os excelentes gráficos, as músicas fantásticas, o bom ritmo entre as fases, e a diversão que o game proporciona, o torna obrigatório aos fãs do gênero, e imprescindível para aqueles que curtem jogar um game sem compromisso com um amigo.

12 – Michael Jackson´s Moonwalker (1989 – SEGA)

moonwalker_mega-drive6

Convenhamos: este jogo não chega a ser um clássico a nível técnico, e talvez seja o mais fraco desta lista como um todo. Mesmo assim, o jogo feito para promover o filme do Michael Jackson entra na seleção justamente por ser engraçado e bizarro. Provavelmente é um dos jogos mais originais de sua época, onde você podia atacar os inimigos dançando e seu objetivo era resgatar várias menininhas ao longo das fases.

Evidente que a trilha sonora são versões em chiptune dos clássicos do Rei do Pop, incluindo Bad, Billie Jean, Beat It, Smooth Criminal. Curiosamente, a fase que se passaria no clipe de Thriller possui em sua trilha a faixa Another Part of Me, que não é tão conhecida. Querendo dar boas gargalhadas e se distrair numa tarde de tédio, é uma boa pedida.

11 – Ecco the Dolphin (1992 – Novotrade)

ecco

Outro game bastante original da SEGA, onde você assume o papel de um golfinho e acaba tendo que salvar o mundo, incluindo viagens no tempo e até fora do espaço. O nível de dificuldade é bastante elevado, mas ao mesmo tempo é relaxante com suas faixas calmas, cenários no fundo do mar vendo peixes, baleias, golfinhos e por aí vai. Conhecido por muitos como “jogo sonífero” no melhor estilo dos documentários sobre peixes e baleias do Discovery Channel, Ecco the Dolphin é um clássico cult do Mega Drive.

10 – Rocket Knight Adventure (Konami – 1993)

rocket

Parece que o Konami queria introduzir mais uma franquia para o seu currículo e criou o simpático Rocket Knight para o Mega Drive, e um ano depois deu uma sequência do game ainda no videogame da SEGA,  e por fim, ganhou uma versão para o Super Nintendo.

Todos os jogos da série são clássicos e aqueles que tiveram oportunidade de jogar nos anos 90 quando ainda eram ultra-jovens provavelmente se divertiram com o herói que possuía o foguete nas costas. Infelizmente, mesmo os games da série possuindo todas as características que levariam o personagem ao estrelato, os jogos nunca tiveram o sucesso comercial esperado pela Konami, e eventualmente a empresa o abandonou. Recentemente fizeram um remake de um dos jogos do Mega Drive.

9 – Castle of Illusion (1989 – SEGA)

castle_of_illusion

Conhecido por muitos como “o joguinho do Mickey”, este é o mais lembrado entre os brasileiros quando lembramos do simpático ratinho da Disney que é um estrondoso sucesso no mundo inteiro. Usando com inteligência o poder do Mega Drive, o jogo mescla excelentes animações, gráficos simpáticos, ótima trilha sonora, e fases marcantes. Houve outros jogos do Mickey para o console após esse que exploravam ainda mais a capacidade do videogame da SEGA, mas muitos consideram Castle of illusion o melhor de todos.

8 – Castlevania Bloodlines (1994 – Konami)

Castlevania_Bloodlines

Castlevania também apareceu no Mega Drive, e ele é um dos jogos mais atípicos de toda a série dos vampiros! Ele se passa em 1917; não possui um Belmont como protagonista, apesar do John Morris ser considerado um descendente deles; Foi o primeiro game da série a não se passar quase que inteiramente no castelo do Drácula ou na Romania, contando com fases em várias partes da Europa e até mesmo a torre de Pisa.

Além disso, é perceptível o enorme esforço da produção em explorar os efeitos do Mega Drive, com bons gráficos,  reflexo na água, e outras coisas que fazem o título ganhar destaque. Quem curte a era clássica do Castlevania, definitivamente precisa pegar este game.

7 – Gunstar Heroes (Treasure – 1993)

GunstarHeroes

E por falar em efeitos gráficos, o Gunstar Heroes é um dos campeões em conseguir explorar a capacidade do consoles! Levando o nome da desenvolvedora Treasure ao estrelato, o estilo lembra um pouco o da série Contra, sendo Run and Gun (Corra e Atire) comum nos anos 90.

O objetivo do game é mostrar a todos a potência do Mega Drive, com efeitos de distorções, zoom, explosões, etc. Com excelente ritmo, e considerado por muitos o melhor game dos 16bits, este é um clássico que todo gamer deveria jogar!

6 – Comix Zone (STI – 1995)

Comix-Zone-joanad-3_thumb

Originalidade é algo que não flta na SEGA, e a equipe americana do Sega Technical Institute, ou STI, mandou muito bem no ano de 1995 ao criar um game que se passa numa espécie de história em quadrinhos ao estilo “pancadaria” com resolução de simples enigmas. Este é um primor em qualidade técnica, com gráficos legais até os dias de hoje, ótima jogabilidade, e um estilo bastante único. Clássico!

5 – Contra Hard Corps (Konami – 1994)

contra

Apesar do Contra III do Super Nintendo ser mais famoso, Hard Corps é considerado o melhor de todos por grande parte dos fãs da série e dos gamers em geral. E não é para menos! A série que já é reconhecida pelo dinamismo, agilidade, ótimos gráficos, chefes gigantescos em criaturas horrendas, atinge seu ápice aqui.

O game possui diversos finais entre alternativos e secretos, há quatro personagens selecionáveis, inúmeros caminhos a seguir que descambam em fases diferentes, aumentando expressivamente o fator replay, bom ritmo de fases, composições que casam perfeitamente com o estilo do jogo, além de explorar ao máximo o poder do Mega Drive na construção de gráficos. Contra Hard Corps é notadamente um jogo bastante esforçado e bem pensado, alcançando tranquilamente nota 10.

4 – Quackshot (1991 – SEGA)

quackshot

O jogo do pato Donald é um desses games que conseguem “driblar” as limitações do Mega Drive e acabou sendo um jogo bastante épico. Desenvolvido pela SEGA, ele mistura plataforma com resolução de enigmas, não bastando chegar ao final da fase, mas sim pegar itens, abrir portas, conseguir alguma coisa para alguém, e por aí vai. Um game inteligente, diferente e desafiador.

3 – Shinobi III (1993 – SEGA)

shinobi

Este foi muito conhecido na época pelo atraso em seu lançamento, que sempre era adiado para refinarem-o ao máximo. A espera valeu a pena, visto que o game possui gráficos de ponta, excelentes músicas, jogabilidade perfeitamente funcional, e é considerado o melhor game da saga Shinobi até hoje por muitos gamers ao lado do último lançamento para o Nintendo 3DS.

O interessante é que as fases são sucintas na medida certa, não parecendo pequena demais, nem grande demais, alcançando um meio termo que poucos jogos conseguem, e o mesmo pode se dizer da dificuldade. Curiosamente, há um chefe no jogo (imagem acima) que é inspirado no MechaGodzilla, a versão mecânica de um dos inúmeros filmes da série do lagarto gigante.

2 – Phantasy Star IV (1994 – SEGA)

psiv

Considerado o melhor JRPG do Mega Drive (numa época em que era chamado só de RPG) por 9 entre 10 pessoas, o Phantasy Star IV não buscava ser tão inovador quanto seus antecessores, mas potencializava ao máximo todos os elementos positivos dos games anteriores. O objetivo da SEGA foi mostrar uma redenção depois da massiva recepção negativa do Phantasy Star III que era muito diferente do universo proposto nos dois primeiros jogos.

Além de bons gráficos para o estilo, as cenas eram desenhadas inteiramente em mangá / anime; há ataques duplos, triplos, quádruplos e até quíntuplos; a história contava com reviravoltas inesperadas, incluindo uma morte que ficou na cabeça dos gamers e que levou muitos jogadores as lágrimas; fora a variedade nos cenários; o estilo futurístico; e também sendo o primeiro game (talvez o único) que finaliza a história de uma série, não dando brechas pra continuações. Sendo um game fantástico em todos os segmentos, ele é um RPG “de luxo” para o Mega Drive, sendo obrigatório para qualquer fã do gênero.

1 – Sonic 3 & Knuckles (1994 – SEGA)

s3k

E obviamente, um game do azulão não podia falta na lista, sendo que Sonic 3 & Knuckles é considerado o melhor da série clássica por grande parte dos fãs. É verdade que o game peca um pouquinho em originalidade, fazendo uma reutilização de temas já explorados nos dois jogos anteriores. Mesmo assim, ele leva o Mega Drive ao limite de sua capacidade e “turbina” todos os pontos dos outros jogos da série.

São três personagens selecionáveis, cada um com suas habilidades características; 14 fases; transformações para todos eles; Michael Jackson e Jun Senoue nas composições da trilha sonora; uma história contada através das circunstâncias; ótima escolha dos temas das fases; excelente level design; a primeira participação do genial Takashi Iizuka na série Sonic; ótimos gráficos; fase final com Super Sonic; longevidade, carisma, e inúmeras coisas. Qualquer amante do gênero plataforma que se prese, necessita ter este jogo concluído em seu currículo, pois realmente foi um trabalho de mestre da talentosa Sonic Team.