r7Tops

5 games com roteiros incrivelmente bem escritos

Uma história ruim pode render um jogo interessante se o roteiro for bom

Você sabe qual é a diferença entre uma história e um roteiro? Apesar de ambos estarem atrelados, são duas coisas distintas. A história é “o que” está sendo contado, e o roteiro é “como” essa trama será contada. Às vezes uma boa história fica chata devido ao roteiro ruim, e o inverso também acontece: aquela trama bastante clichê (vamos salvar o mundo/a princesa) pode se tornar interessantíssima se o roteiro for bem escrito. Pensando nisso, selecionamos 5 games com roteiros bem escritos.

5 – The Walking Dead da Telltale

Praticamente qualquer jogo da Telltale merecia um espaço nessa lista, considerando que seus jogos sempre apostaram em uma boa história e, na maioria dos casos, elas são muito bem escritas, com personagens bem executados, e as escolhas do jogador influenciam diretamente na história, que conta com acontecimentos chocantes.

No entanto, o The Walking Dead consegue convencer que se passa no mesmo universo da série de TV (mesmo com outros personagens), tem mortes completamente inesperadas que choca até o mais preparado dos jogadores, e um desfecho muito emocionante. Excelente ritmo, excelentes personagens, e um jogo muito bem escrito.

4 – Life is Strange

Outro game com ênfase na narrativa, este jogo da Dontnod Entertainment compartilha de muitas qualidades citadas no The Walking Dead, mas contando com um ritmo ainda melhor e personagens muito bem construídos.

Em nenhum momento você se sente entediado com a história e ela é muito envolvente, fora que a última decisão que o jogador precisa tomar para o desfecho do jogo transmite, com exatidão, os sentimentos da protagonista. É aquele momento que você fala “e agora?!”. Um dos melhores roteiros dos games.

3 – Sonic Adventure 2

Quem diria que um game do azulão estaria em uma lista do gênero? Pois o Sonic Adventure 2 conta com uma premissa bastante simples de coletar as esmeraldas e salvar o mundo, mas o roteiro escrito pelo Shiro Maekawa faz essa “história básica” ser contada de modo muito interessante.

As cenas, em sua maioria, não chegam a ter um minuto, o que dá dinamismo ao game; os diálogos são todos sucintos e memoráveis; o desenvolvimento de todos os personagens também é ótimo; e a reta final onde heróis e vilões convergem dá uma boa dramaticidade para a história, mas sem descaracterizar os jogos do Sonic. Fácil de entender, divertido e convincente.

2 – Undertale

O Undertale é um game indie bastante simplório que tem dois trunfos que valem a experiência: a trilha sonora e o roteiro. Mesmo sendo tão simples, com personagens feitos no paint, eles parecem “vivos” devido aos diálogos muito bem escritos, e a história é tão envolvente que o desfecho é capaz de arrancar “rios de lágrimas” dos jogadores. É aquele game que a gente “subestima” ao olhar pela primeira vez, mas você não consegue parar de jogar até zerar, provando que os roteiros são fundamentais para uma boa experiência.

1 – Her Story

Lançado em 2015 e ganhador de vários prêmios, o Her Story usa a técnica de jogo em FMV com atores reais, que era muito popular nos anos de 1990, mas acabou se perdendo com o tempo e é bastante raro nos dias de hoje. Ele conta a história de uma mulher da Inglaterra que é entrevistada sobre o desaparecimento de seu marido, e o objetivo é que o jogador “monte o quebra cabeça” para saber o que aconteceu.

Sendo muito bem escrito, o game é intrigante e deixa o jogador sempre com vontade de descobrir o que aconteceu nessa história, sendo um dos melhores roteiros dos games. As escolhas do jogador também influenciam na história, mesmo que a solução do mistério seja a mesma, dando varias possibilidades de chegar a conclusão. Impressionante e, quem curte o gênero, fica bem empolgado em falar sobre ele. O único ponto ruim é que é necessário saber inglês.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo