Share Button

Um crime bárbaro chocou a população de Curitiba, e do Brasil todo, nesta quinta-feira (6), e como sempre acontece quando há videogames envolvidos, não vai demorar muito para que alguns sites, telejornais tendenciosos, políticos e pastores querendo chamar a atenção, atribuam a “culpa” do crime nos videogames: um adolescente de 14 anos matou a própria tia com mais de 30 facadas e requintes de crueldade, no bairro da Vila Hauer, Curitiba.

A vítima, Josineire Oliveira Zieben, 43 anos, era bancária do HSBC e vivia em um sobrado de classe média junto com o marido, também bancário e que está em viagem em Londres e o seu sobrinho, que veio do interior há alguns anos para estudar no Colégio da Polícia Militar.

Na madrugada desta quinta-feira, por volta das 2h, vizinhos ouviram muitos gritos de socorro e se aglomeraram em frente à casa para ver o que acontecia. A gritaria só acabou quando um vizinho, um soldado do BOPE, invadiu a residência e encontrou a cena trágica: a mulher toda ensaguentada e o sobrinho parado ao lado com um faca.

Foram mais de 30 facadas que tiveram como alvo o rosto, pescoço, braços e peito de Josineire. Ela chegou a ser levada para um hospital, mas não resistiu e faleceu no caminho. O adolescente foi detido e confessou com frieza todo o crime. Ele disse ter premeditado tudo há uma semana e que a esfaqueou porque vinha sofrendo bullying dos colegas por namorar uma garota considerada feia. Ele também confessou que a esperou dormir para atacar e que teve prazer em esfaquear a tia e de ver a morte. Em seu quarto, o videogame estava ligado com o jogo “Grand Theft Auto“, famoso pelo alto grau de violência, em que o jogador vive um personagem na vida do crime.

Segundo depoimento dos vizinhos, o adolescente nunca apresentou nenhum sinal de violência ou ameaça, e que aparentava ser um rapaz inteligente e de boa família. Amigos do garoto disseram que ele passava o dia jogando GTA.

O jovem foi encaminhado à Delegacia do Adolescente onde permanece detido.

* Antes que nos acusem de “sensacionalismo” por causa do título da matéria, gostaríamos de lembrar que isso aqui é um SITE DE VIDEOGAMES, e não de notícias policiais, e que a informação dele ser um jogador de GTA, fornecida pela assessoria de imprensa da polícia de Curitiba, fez parte da manchete justamente para atrair os leitores gamers. Em nenhum momento dissemos que o crime foi causado pelo jogo, pelo contrário, fazemos uma crítica no primeiro parágrafo.