Share Button

Akira é um dos mangás/animes mais aclamados de todos os tempos, apresentando uma história de ficção científica que transportou os fãs para um novo mundo, sendo reverenciados até hoje.

Recentemente, a obra voltou a ser manchete nos principais meios de comunicação com uma provável adaptação de Hollywood em desenvolvimento (ainda não confirmada), bem como o 35º aniversário da franquia completados em 2017.

Mas nem todos estão entusiasmados com o ressurgimento da franquia, já que o criador por trás da franquia, Katsuhiro Otomo, cresceu distante e frio da sua própria criação. Otomo, que ainda é um artista ativo aos 63 anos, comentou seus sentimentos e pensamentos sobre Akira em uma longa entrevista para a Forbes.

Quando perguntado sobre a primeira vez que viu a famosa animação de 1988 baseada em seu mangá (que também tem roteiro e direção Otomo), ele disse que achou que “seria um fracasso“:

Na verdade, quando eu vi a primeira versão do filme de Akira eu pensei que seria um fracasso. Saí do cinema muito rapidamente e voltei para casa para dizer a minha esposa que o filme foi um fracasso. Eu achei que a primeira metade foi boa, mas como o tempo e o orçamento foram limitados, com tantos cortes, a qualidade caiu enquanto a história se desenvolvia. Em geral, eu achei que a qualidade da imagem e qualidade de corte cairam muito quando o filme entrou na segunda metade. Então, quando eu vi o declínio da qualidade enquanto assistia me fez sentir infeliz“, contou.

Para dar alguns exemplos do que quero dizer, houve muitos cortes. Acho que houve mais de dois mil cortes no final. Isso significava que não tínhamos animadores suficientes para fazer todo o trabalho. Então, cada animador tinha muito mais trabalho do que eles poderiam fazer e fizeram um monte de horas extras, o que comprometeu em termos de qualidade de animação. Além disso, o estúdio teve de terceirizar a animação no exterior para reduzir os custos e eles não eram muito bons“.

No entanto, olhando para trás agora, ele não parece ter um sentimento tão duro sobre o filme, especialmente com o remake HD em DVD/Blu-Ray, lançado em 2009.

No entanto, quando Shoji Yamashiro fez o remake com 5 canais de áudio, ele me convidou e me mostrou o filme novamente. Então, havia se passado um tempo muito longo desde que eu tinha visto o filme quando foi lançado. Talvez o tempo tivesse me tornado mais suave, mas quando o vi novamente pensei: “Ah, isso é interessante” e que talvez não fosse tão ruim assim“.

Já quanto ao novo filme live-action que está em desenvolvimento, o criador está ok com o projeto, contanto que ele verifique e aprove o cenário – mesmo ele afirmando que “já acabou” com Akira.

Pessoalmente, acho que algo como Akira não faria nenhum sentido como um filme. Quanto ao que eu faria em termos de adaptação da Akira no meu próprio filme live-action, na verdade não quero fazer isso. Eu prefiro fazer algo inteiramente novo e separado“, contou ainda.

Por fim, o artista ainda revelou que a inspiração para a icônica moto futurista de Akira veio do filme “Tron” da Disney.