Share Button

Em recente entrevista para o site Collider, o roteirista Damon Lindelof, um dos responsáveis pelo roteiro de “Prometheus” (2012), revelou que a ideia inicial do diretor Ridley Scott era fazer do longa uma nova franquia nos cinemas.

Este filme tem dois filhos: Uma dessas crianças cresce para ser Alien, mas a outra criança ainda vai crescer e Deus sabe o que acontece com ela. E isso é o que a sequência de Prometheus seria. O plano inicial era para Prometheus gerar sua própria franquia separada, ainda mais desconectado de Alien“, comentou.

Scott queria manter os personagens Elizabeth Shaw (Noomi Rapace) e David (Michael Fassbender) vivos no final de Prometheus para colocá-los em uma novo caminho na sequência.

Sobre os Engenheiros, alienígenas que criaram os humanos em Prometheus, eles seriam o foco na sequência e seriam apresentados como uma espécie agressiva e maligna.

Isso [da raça ser maligna] não é necessariamente plantado no no final do terceiro ato [de Prometheus), mas eu sabia que é para onde devemos ir, porque se abrimos esta porta – o que eu espero que tenhamos feito, porque eu certamente gostaria de fazer a sequência – eu adoraria explorar onde diabos a Doutora Shaw vai em seguida e o que ela faz quando ela chega lá [no planeta dos Engenheiros], porque se é o paraíso, o paraíso não pode ser o que você pensa que é. O paraíso tem uma conotação de ser extremamente sinistro e perigoso“.

Lindelof ainda revelou que o conceito original era mostrar Jesus Cristo como sendo um dos emissários da raça alienígena, enviado à Terra para por fim aos conflitos. Ele foi crucificado, o que deixou os Engenheiros com raiva dos humanos, desejando pelo seu fim. A arma biológica, que acabou dando origem ao Alien em Prometheus, seria destinada para erradicar os humanos da Terra.

Essa sequência de Prometheus pode ainda acontecer, já que “Alien: Covenant” se passa 10 anos após os eventos do filme de 2012, e apesar de ter mostrado algumas partes do que aconteceu quando Shaw e David chegaram em seu planeta, muito mais pode ser explorado.

Aproveite e veja o que achamos de “Alien: Covenant“, que ainda está nos cinemas brasileiros, em nossa crítica!