Análises

Aliens vs Predator

– seja a caça ou o caçador –

Acabou a folia, farra e diversão. O carnaval terminou e é agora que o ano realmente começa no Brasil. E nada melhor que começar o ano jogando, por isso como análise temos hoje Aliens vs. Predator, um FPS produzido pela Rebellion Developments e distribuido pela Sega para PC, PlayStation 3 e Xbox 360, baseado nas criaturas alienígenas dos famosos filmes. Se vocês estavam com saudades dessas criaturinhas tão simpáticas e são fãs das franquias, poderão se divertir com esse game. Mas se você não gosta dos bichos espaciais, é melhor procurar outro game.

As criaturas de sangue ácido Aliens ganharam vida graças à imaginação do escritor H.R. Giger e apareceram pela primeira vez na telona em 1979 pelas mãos de Ridley Scott e que faria da atriz Sigourney Weaver famosa como a heroína Ellen Ripley. Em 1987 seria a vez do extraterrestre Predador causar problemas para Arnold Schwarzenegger. Essas duas franquias se encontram pela primeira vez nas telas do cinema em 2004, com Aliens vs Predator. No mundo dos games essa mistura já rendia bons jogos, um inclusive da própria Rebellion, lançado em 1999 para PCs. Neste novo game, bastante aguardado pelos fãs, prometia ser um dos títulos mais explosivos e emocionantes deste ano, infelizmente não foi isso que aconteceu. Vamos ao game.

Humanos, Aliens e Predadores

Aliens vs Predator não se trata de dominação, mas assim como nos filmes homônimos, de sobrevivência. Temos três raças para escolher, os Aliens, Predator e os humanos, representados pelos Marines. Todos com suas características e pontos fortes e fracos, e suas campanhas single player.

Dos três, o Marine é o mais fraco, usa armas de combate mas não tem muitas opções, mas conta com uma metralhadora, espingarda, pistola e lança-chamas, e são bem mais lentos que as outras duas raças. Mas para quem gosta dos filmes da série Aliens, poderá se sentir como a própria Ellen Ripley caçando as criaturas medonhas. Lembram do radar do filme para detectar aliens? Ele está presente no jogo, inclusive com o seu som característico, assim como o som das criaturas, das armas e dos cenários em si, lembram muito o visual dos filmes, que junto com os efeitos sonoros fazem um ótimo trabalho de imersão, principalmente para aqueles que já assistiram aos filmes. Dos três, o Marine é com certeza aquele que passa maior sensação de tensão e medo e possui um desafio maior.

Já os aliens são extremamente velozes e ágeis, podendo fazer movimentos de ataques muito rápidos. Eles têm a capacidade de andar pelo teto e paredes (podendo causar vertigens aos jogadores não acostumados) além de poderem se camuflar em ambientes escuros e fazer ataques surpresa. Eles também podem prender suas vítimas para que sejam infectados pelo facehuggers, aqueles bichos que grudam na cara das pessoas e possuem alguns ataques fatais cheios de sangue.

E os Predadores são sem dúvida a raça mais forte, podendo dar grandes saltos e alcançar pontos para analisar o ambiente, possui um bom arsenal de armas com tecnologia avançada, modo de camuflagem e visão infravermelha (entre outras). Podem fazer ataques diretos com as lâminas em seus braços, mas o segredo aqui é usar a camuflagem em pontos altos e distantes. Você pode inclusive fazer uma coleção de crânios dos seus inimigos, com cenas sangrentas chocantes.

Graficamente o jogo deixa a desejar, ainda mais se comparado com outros FPS como BioShock 2 e Modern Warfare 2. Possui até uns cenários bacaninhas, principalmente em corredores estreitos e escuros, mas em ambientes mais amplos e abertos pode-se ver bugs, texturas mal feitas e uma fraca palheta de cores, além de animações fracas. De uma forma geral, os visuais são simples, sem grandes detalhes e sem um design mais inovador e criativo. Aliás, o design das fases são bem genéricas que se resumem ir do ponto A para o ponto B e matar o inimigos pelo caminho, e que não serão um desafio para jogadores acostumados com FPS. Temos problemas com a movimentação das câmeras e o principal ataque dos Aliens e Predadores são os ataques corpo-a-corpo, que depois de um tempo se tornam enjoativos.

Ao menos temos um modo multiplayer que irá render um pouco mais de diversão do que as campanhas single player. Há seis modos de jogo com até 18 jogadores que irá proporcionar boas horas de diversão para você e seus amigos.

O grande destaque do jogo fica mesmo para os efeitos sonoros, que são baseados nas obras cinematográficas e são perfeitamente introduzidas aqui, de fácil reconhecimento para os fãs das franquias, sejam os sons dos radares, das armas, mos guinchos dos Aliens e os sons dos Predadores.

Hunter. Survivor. Prey. Which will you be?

Márcio Pacheco

Márcio Alexsandro Pacheco - Jornalista de games, cultura pop e nerdices em geral. Me add no Facebook: https://www.facebook.com/marcio.pacheco

Artigos relacionados