Share Button

A atriz Allison Mack, mais conhecida como a Chloe Sullivan na série de TV Smallville, foi presa pelo FBI nesta sexta-feira (20) sob acusações de tráfico sexual e trabalho forçado, de acordo com informações do site TMZ. Ela pode pegar até 15 anos de prisão.

Há cerca de um mês, Keith Raniere, líder do culto secreto que escravizava mulheres, foi preso no México e foi extraditado para os EUA – relembre do caso.

Mack foi apontada como a segundo em comando desse culto, acusado de coagir mulheres ao ato sexual e a marcá-las na pele com ferro quente com suas iniciais.

De acordo com os documentos legais, Mack recrutou e persuadiu mulheres jovens a se juntarem a uma organização secreta chamada “DOS” sob o pretexto de participarem de um grupo de empoderamento das mulheres.

Ela orientava as mulheres a fazer sexo com Raniere e exigia que elas permanecessem celibatárias, não se masturbassem e deixassem crescer seus pelos púbicos para agradar a Raniere. Mack também fazia seus escravos participarem de exercícios de “prontidão”, o que exigia que eles respondessem a seus mestres a qualquer hora – dia ou noite. A atriz usava “garantias” na forma de fotos comprometedoras e confissões registradas de crimes do passado, a fim de chantagear as mulheres a permanecerem no grupo.

Diz a decisão da Justiça americana:

Como consta na acusação, Allison Mack recrutou mulheres para o que supostamente seria um grupo de orientação feminina que foi, de fato, criado e liderado por Keith Raniere”, afirma o procurador Richard Donoghue. “As vítimas foram então exploradas, tanto sexualmente quanto por seu trabalho, em benefício dos réus“.

Mack entrou com um argumento de inocência que foi enviado ao juiz. Haverá uma audiência para determinar sua fiança na segunda-feira. Promotores federais do Brooklyn estão recomendando que a fiança de Mack seja extremamente alta, porque eles acreditam que ela é um risco de fuga com laços consideráveis ​​no México.

Kristin Kreuk

Kristin Kreuk, colega de Mack em Smallvile interpretando a personagem Lana Lang, admitiu no mês passado participar do culto de auto-ajuda de Raniere, mas negou qualquer envolvimento no aliciamento de mulheres para escravidão sexual, afirmado estar “horrorizada e enojada” com as revelações.

Sobre o culto 

O culto de auto-ajuda de Keith Raniere (imagem acima) era conhecido como NXIVM, usado como fachada para um “círculo privado” chamado DOS (Dominus Obsequious Sororium, que em latim significa Dominador das Mulheres Escravas), que recrutava mulheres para poderosos de Hollywood e também para o seu líder Raniere.

As primeiras denúncias contra o culto, Raniere, Alisson Mack e Kristin Kreuk surgiram após a enxurrada de acusações de assédio contra nomes de influência de Hollywood, iniciado com o produtor Harvey Weinstein, acusado por mais de 60 mulheres de assédio e/ou estupro nos últimos meses.

Relatos dizem que as mulheres recrutadas sofriam lavagem cerebral e eram obrigadas a recrutar outras garotas. Caso não conseguissem, eram punidas fisicamente. Inclusive Mack é descrita tanto como vítima como carrasca do culto.

Susan Dones, uma ex-membro do grupo de Raniere, confirmou que Kristin Kreuk saiu do culto “antes de se tornar algo bizarro e que não estava envolvida em nada sexual.

Abaixo imagens de marcações à ferro em mulheres escravizadas, com as iniciais de Mack e Raniere, líderes do culto: