AnálisesGames

Análise | Astro’s Playroom faz mais do que promete e introduz com capricho as funções do DualSense

Desde o anúncio do primeiro PlayStation na E3 1995, são vinte e cinco anos de uma história repleta de diversão e momentos inesquecíveis. Foram cinco consoles de mesa, acompanhados de portáteis e milhares de jogos lançados para todos eles em suas respectivas épocas. Astro’s Playroom, um jogo à primeira vista simples e que vem pré-instalado no PS5, é uma homenagem a toda essa história.

Tech Demo de respeito…

Na teoria, o papel do Astro’s Playroom é servir como uma tech demo do PS5, mais especificamente para o DualSense, o novo controle do console repleto de funções interessantes. Logo nos primeiros segundos após iniciar o jogo, você já é convidado a conhecer todas as novidades que poderão estar nos seus títulos de agora em diante na nova plataforma.

A vibração do DualSense é incrível e nessa tela você pode sentir ela alterar a intensidade em cada um dos pontos do controle, sendo possível desta forma simular várias situações inusitadas. Na TV, o jogo mostra vários pequenos androides entrando no controle e que te pedem para virar o DualSense de lado, com você sentindo eles indo de um lado ao outro do controle, como se estivessem lá dentro mesmo. Os gatilhos possuem pressão regulável. Para disparar a turbina de um foguete, você pode sentir, junto com a vibração, toda uma tensão e imersão diferente, que impressiona e traz aquele sorriso típico de quando se experimenta algo novo e especial.

Durante toda a curta mas memorável aventura no Astro’s Playroom, esses elementos serão colocados à prova de maneiras criativas. Quando o robozinho nada, anda na areia, no chão de terra, no metal, cada uma das superfícies vibra de uma forma diferente no controle e de maneira bem sincronizada com os passos, fazendo com que você sinta elas nas mãos. Ao voar com foguetes, controlar um robô macaco para escalar e utilizar outras variações entre as fases, você também vai fazer uso do sensor de movimento, os gatilhos adaptáveis e até o touchpad do controle.

Do ponto de vista de uma tech demo, Astro’s Playroom cumpre muito bem o seu papel e apresenta de forma bastante divertida o que pode vir a ser o futuro dos jogos no PlayStation se os estúdios se dedicarem a implementar as funções do DualSense.

…e jogo de plataforma melhor ainda

No entanto, o que me surpreendeu mais que tudo isso foi como Astro’s Playroom é um jogo competente de plataforma. Embora curtinha – são apenas quatro mundos com quatro fases em cada – a aventura conta com momentos memoráveis, com desafios divertidos e bem executados, que lembram os melhores jogos da outra gigante japonesa, a Nintendo, que é mestre neste gênero.

O Astro já começa com todas as suas habilidades disponíveis, como voar uns segundos com seus foguetes, bater nos inimigos de duas formas e claro, saltar, mas a forma como elas são utilizadas para interagir com o mundo é que chama a atenção. O jogo não te deixa cansar e a cada nova fase há sempre novidades que mantém aquela sensação de descoberta e diversão no nível máximo.

Em cada mundo, por exemplo, há sempre duas fases que usam uma espécie de roupa especial para o Astro. Em uma delas ele se veste como um macaco e precisa escalar uns paredões de pedra. No caminho, é necessário dosar a força nos gatilhos para não quebrar a pedra com a pegada firme do macaco e mover o corpo dele com o sensor de movimento do controle para garantir a mão no local certo na próxima ação. Tudo isso executado de forma muito responsiva e funcional.

O Team Asobi, responsável pelo desenvolvimento do Astro’s Playroom, já tinha mandado muito bem com o Astrobot, um jogo para o PS VR. Com mais esse bom título, precisa receber um projeto de escopo maior da Sony focado no PS5, já que o console carece de bons jogos de plataforma neste nível. Basta ler a nossa análise do Sackboy: Uma Grande Aventura para perceber isso. Mais jogadores precisam conhecer o trabalho desse estúdio que tem um potencial enorme.

História Play

Por cima desse uso exemplar do hardware e dos conceitos de design que fazem um jogo de plataforma excelente, ainda há uma homenagem muito respeitosa e divertida a toda a história da linha PlayStation. O Hub principal, por onde você navega entre os mundos, é o interior do PlayStation 5. Dentro dele há o mundo da CPU, da GPU, do SSD e das memórias. Em cada um desses locais, você embarca em uma viagem ao passado, retornando aos tempos de ouro dos quatro consoles anteriores da Sony.

Durante as fases, você coleta artefatos que são modelos tridimensionais extremamente detalhados dos consoles da Sony e seus acessórios. O famoso memory card do Play 2, o primeiro controle do PS1 que ainda nem tinha os analógicos, todas as variações de câmera que você pode acoplar no seu console ao longo de todos esses anos e assim por diante. Até as mídias foram lembradas, começando pelo CD-ROM, passando pelo DVD e chegando finalmente ao Blu-Ray.

Tudo isso que você coleta vai para o laboratório, onde você pode interagir com esses consoles. Quando Astro pula no botão de Ligar do PS1, por exemplo, você vê a clássica intro com aquela música icônica. Há também um painel da história do PlayStation para ser completado, uma máquina que troca as moedas que você coleta nas fases por dioramas bem legais com os consoles e até referência a todas as interfaces que foram desenvolvidas no sistema operacional dos videogames com o tempo.

É uma viagem completa por anos de diversão que vão fazer os jogadores ficarem nostálgicos e se ligarem ainda mais à marca.

Obviamente há também homenagem aos jogos que passaram por todas essas plataformas. Em cada fase, há sempre dezenas de outros androides em cena e vários deles estão gravando momentos clássicos que fazem referência aos títulos mais marcantes. Podem ser encontrados trajados como Jill e Chris de Resident Evil, Dante de Devil May Cry, Nathan Drake de Uncharted e muito, mas muito mais.

A soma de tudo isso é uma experiência memorável e obrigatória para quem tem um passado com os consoles PlayStation. Se você vai comprar um PS5, faça questão de que Astro’s Playroom seja o primeiro jogo que você irá jogar nele.

Conclusão

Astro’s Playroom é uma tech demo que faz mais do que promete. Com uso exemplar do hardware, demonstra de forma criativa a forma como o DualSense pode ser utilizado nos próximos anos. Mas não para por aí.  Além da parte técnica, é também um excelente jogo de plataforma, com controles responsivos e jogabilidade refinada. A homenagem a toda a história do PlayStation é a cereja do bolo, que traz nostalgia e emociona todos que já tiveram um console da marca.

Prós

  • Uso do DualSense é bem feito e criativo
  • Mundos divertidos e repletos de referências à história do PlayStation
  • Controles responsivos e desafios interessantes
  • O laboratório é simplesmente inesquecível

Contras

  • Bem curtinho, mas esperado para uma Tech Demo
  • Gráficos poderiam ter sido mais polidos

Nota: 8.5

Artigos relacionados