AnálisesGames

Análise | Crysis Remastered Trilogy retorna com os belos visuais da série original

Quando foi lançado em 2007 para PC, PlayStation 3 e Xbox 360, o primeiro Crysis foi um dos maiores destaques da sua época, ao apresentar gráficos deslumbrantes e ser um dos jogos mais bonitos desde então.

Depois vieram duas sequências, em 2011 e 2013, e só em 2020 a desenvolvedora alemã Crytek decidiu ressuscitar o primeiro game com uma remasterização, e agora mais recentemente com uma coletânea com os três games remasterizados, que chega ao PlayStation 4, PlayStation 5, PC, Xbox One, Xbox Series X e até mesmo o Nintendo Switch.

Mas quase 15 anos depois do seu lançamento original, será que Crysis ainda é uma série que vale a pena jogar hoje em dia, em meio a outros grandes jogos de tiro em primeira pessoa que estão disponíveis no mercado? Vem com a gente e veja o que achamos dele.

Super Soldado contra força alienígenas

É claro que fica evidente o peso da idade, mas visualmente Crysis ainda consegue prender a nossa atenção, especialmente se for jogado em um PC, PS5 ou Xbox Series X, que permitem recursos extras para oferecer visuais e gráficos mais realistas, com ambientes mais bonitos, além de rodar em uma resolução de 4K a 60 quadros por segundos (nos consoles mais antigos ele dá umas engasgadas), pontos presentes em todos os três games.

A história nunca foi o ponto forte do game, mas caso você não se lembre aqui vai uma rápida recapitulada do primeiro capítulo: no ano de 2020, um grupo de arqueólogos americanos estão explorando uma ilha da Coreia do Norte, quando descobrem algo incrível que “mudará o mundo”.

Ao tentarem se comunicar com os seus superiores, a transmissão é interrompida por forças militares coreanas, e agora cabe ao jogador, um soldado de elite do exército dos Estados Unidos, resgatar junto com um pequeno grupo os cientistas e descobrir mais detalhes sobre o achado deles, que é na verdade uma antiga estrutura construída por uma perigosa raça alienígena (e que não está nada feliz com a visita dos humanos).

O gameplay da série Crysis também foi um dos destaques dos games originais, com armas com opção de modificação de acordo com a necessidade do jogador, cenários destrutivos e o principal atrativo: uma vestimenta utilizada pelo personagem chamada Nanosuite, que concede uma força descomunal, grande velocidade, maior resistência a danos e camuflagem, tornando seu usuário quase que invisível, o que é perfeito com os cenários da ilha paradisíaca do primeiro game.

Já Crysis 2 e 3 também possuem visuais espetaculares e tem como ambientação um cenário mais urbano dentro da cidade de Nova York e conseguem oferecer uma boa experiência de forma geral, apesar de um gameplay meio enferrujado, mais ainda mais acessíveis do que o primeiro Crysis, que possui padrões mais ultrapassados (especialmente na hora de dirigir veículos).

Por ser o mais recente, Crysis 3 foi o que envelheceu melhor nesta remasterização, com gráficos muito bonitos e um gameplay mais acessível, situado dentro de uma Nova Iorque pós-apocalíptica.

Conclusão

Crysis Remastered Trilogy é um pacote recomendado para você jogador que quer relembrar, ou conhecer, estes clássicos da Crytek, de preferência para serem jogados em um bom computador ou nos consoles PS5 e Xbox Series X, para uma experiência mais satisfatória. Verdade seja dita: não é uma coletânea memorável, e tem os seus problemas, mas de forma geral, a remasterização traz uma boa repaginada de uma grande explosão do passado chamada Crysis.

Prós

  • Bom desempenho na nova geração
  • Gráficos e iluminação melhoradas
  • Jogos agradáveis para serem relembrados

Contras

  • Não há multiplayer
  • Não há legendas em português
  • IA bastante limitada (nos 3 jogos)
  • Ausência de conteúdo extra

Nota: 7.5/10.0

Uma cópia do jogo foi fornecida para a elaboração desta análise

Márcio Pacheco

Márcio Alexsandro Pacheco - Jornalista de games, cultura pop e nerdices em geral. Me add nas redes sociais (links abaixo):

Artigos relacionados