Share Button

Divulgação

A série Grid surgiu em 2008 pela empresa britânica Codemasters, também responsável por outros títulos de corrida de sucesso, como as séries TOCA, F1 e bacaníssimo Dirt.

De 2008 até aqui foram lançados poucos títulos da série (apenas três), em comparação às outras franquias, mas eis que a Codemasters surpreende e anuncia um reboot, que foi lançado agora recentemente em outubro para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

E apesar de ter ficado na garagem por um bom tempo (o último título é de 2014), o novo Grid tem como bagagem toda a experiência dos criadores de Dirt e da série F1, o que resultou em corridas intensas muito divertidas, e que equilibra em um jogo só os gêneros arcade e simulação (desligue as funções de auxílio, ligue o sistema de danos no carro, entre outras opções e seja feliz).

A seleção de pistas é personalizada e oferece muitos desafios e horas de diversão. São mais de 80 rotas diferentes distribuídos em vários cenários ao redor do mundo, que passam por pistas reais, como Sepang, Sydney e Indianápolis, a circuitos ficcionais, como o clássico São Francisco ou a novíssima Havana.

O jogo conta com uma seleção (limitada) de cerca de 70 carros muito bem selecionados, que passa pelos mais variados modelos, sejam eles modernos ou clássicos, de circuito, rua ou terra.

Os veículos são distribuídos em cinco classes: GT (longas distâncias), Stock (competição), Tuner (tunados/modificados), Open-Wheel (F1) e Invitational (clássicos/exóticos).

O modo principal é o Modo Carreira, onde corremos em categorias e vamos liberando mais eventos/corridas, ganhando dinheiro para comprar carros e ganhando fama no mundo do automobilismo, até acessar o evento principal, o Grid World Series.

Junte a isso competir contra times como o temido Ravenwest Motorsport (dos jogos anteriores) ou enfrentar nomes conhecidos como Fernando Alonso (F1, que serviu de consultor para o desenvolvimento do game) e Jamie Chadwick (a inglesa de apenas 21 anos que vem se destacando W Series da F3) e temos uma jornada longa, divertida e intensa.

Mas certamente o grande destaque do game, e o maior diferencial dos antecessores, é o novo recurso chamado Nemesis System, que oferece uma inteligência artificial aos adversários nunca vista antes em um jogo de corrida.

Os pilotos rivais são totalmente imprevisíveis e agressivos, fazendo com que seu carro rode na pista ou seja jogado contra as paredes ou para fora da pista de propósito. A direção defensiva também pode ser vista, com pilotos freando e fechando, posicionando o carro no meio da curva sem espaço para ultrapassagem, não apenas com o jogador, mas também com as outras IA.

Segundo a Codemasters, são mais de 400 personalidades de IA que ​​estão associadas a cada piloto no jogo, cada uma com suas próprias forças, fraquezas e tendências – e todos buscando a vitória. Se você bater ou encostar muito em um carro, prepare-se para ter um inimigo nas pistas, pois sua personalidade irá mudar para um modo “Vingativo” e ficará bem mais agressivo contra você.

Já para quem gosta de multiplayer temos dois modos: o Quick Match, onde o jogador entra na pista imediatamente, em eventos selecionados aleatoriamente em lobbies abertos; e o Private Match, onde é possível ter controle total com lobby personalizado, com opções de cenários, classes, rotas, carros, sistema de qualificação e convite para outros jogadores.

O ponto mais fraco do jogo são os gráficos, que são bons e proporcionam uma boa experiência, mas que poderiam ser mais elaborados e impactantes, especialmente quando comparado com um Forza Horizon 4, um Project Cars 2 ou mesmo o F1 2019, que é da própria Codemasters.

Outra derrapada que podemos notar é o número limitado de circuitos (apenas 12, distribuídos em quatro continentes), sendo que a Codemasters já anunciou três DLCs para o jogo, ou seja, a empresa limitou o lançamento para poder vender como conteúdo adicional pago posteriormente – a não ser que você tenha comprado a Ultimate Edition, que inclui esse conteúdo extra. O último game, Grid Autosport, conta com 28 circuitos (incluindo os extras).

Porém, vale ressaltar que o estúdio também anunciou que irá liberar novas pistas gratuitamente (só não venham com conteúdos dos jogos anteriores), então vamos aguardar.

Por fim, vale citar que o jogo está totalmente em português, tanto nas dublagens como nos textos, ponto mais do que positivo para a Codemasters. Ah sim, o jogo roda a 60 fps apenas nas versões para PS4 Pro e Xbox One X.

CONCLUSÃO

O novo Grid é um jogo acessível para todos os jogadores, novatos ou veteranos no gênero, basta configurar as opções de acordo com as suas exigências e habilidades no volante. De maneira geral, o game apresenta uma qualidade excepcional em quase tudo, pecando um pouco na restrição de circuitos. Mas se você é fã do primeiro Grid, lá de 2008, vai encontrar aqui facilmente corridas memoráveis que remetem ao clássico.

Prós

  • Corridas emocionantes
  • IA impressionante
  • Acessível a todos
  • Diversão garantida
  • Com dublagem e legendas em português

Contras

  • Poucos circuitos
  • Customização dos carros muito básica
  • Bugs e quedas de resolução são perceptíveis

NOTA: 8,0