AnálisesGamesr7

Análise | Grid Legends oferece campanha competente, mas capota no restante

Jogos de corrida sempre são divertidos. Somente neles podemos ter a sensação de dirigir um veículo de alta potência bem rápido, sem se preocupar com acidentes, multas ou amassados na lataria. 

Desenvolvido pela Codemasters e lançado pela Electronic Arts, Grid Legends chega trazendo um modo campanha inédito para a franquia, mas deixa a desejar quando percebemos que o restante do jogo falha em trazer uma experiência empolgante naquilo que é mais divertido: pisar fundo e correr em alta velocidade.

História inédita

A maior novidade de Grid Legends é a adição de uma campanha, onde as cutscenes são produzidas com atores reais e seguem a ascensão de você – o piloto 22 – pelo mundo automobilístico. Após duas corridas bem sucedidas num circuito, o protagonista é convidado a fazer parte da Seneca, uma das grandes equipes da temporada. 

Conforme o piloto 22 vai subindo nos rankings, mais membros começam a reconhecer o meu talento. A sua evolução acaba sendo responsável pela criação de admiradores e rivais, e tudo isso é contado para o jogador em um formato de “documentário”. A maneira com que a história progride é bem legal, mas como o protagonista não tem rosto (ou voz), achei muito difícil me sentir ligado a ele.

Os atores entregam uma boa atuação, onde cada um consegue transmitir o carisma, motivações e rivalidades de seus personagens. Felizmente, a história não tenta exagerar e consegue entregar uma experiência agradável. 

Falta de variedade atrapalha o ritmo da campanha

Ao jogar a campanha, percebi que Grid Legends não tem muita variedade de pistas interessantes. Em todo o jogo, só consegui gostar de três pistas diferentes – muito pouco comparado com outros jogos de corrida mais recentes. Embora a história te leve ao redor do mundo, todos os circuitos te passam uma sensação de serem idênticos, o que traz uma sensação chata de déjà-vu. 

Ao menos, como a narrativa do jogo é bem escrita, o jogador pode se encontrar motivado a completar essas corridas somente para ver o desfecho da equipe Seneca em busca da vitória. Afinal, existem objetivos a serem completados em cada capítulo, mas todos são relativamente bem simples de realizar. 

Senti que a falta de mudanças na história dependendo do seu desempenho foi uma oportunidade jogada fora, pois ela continuará a ser contada seguindo o roteiro de forma linear. Por exemplo: a equipe informa ao piloto 22 o objetivo de completar a corrida entre os dez melhores. Se ele não completar o objetivo, o jogo pedirá para repetir a missão. Mas, como a história de Grid Legends é totalmente pré-definida e não depende de resultados, nada vai mudar se, por exemplo, o piloto chegar em primeiro lugar. 

Inteligência Artificial decepciona nas dificuldades mais altas

Um ponto que considero ser um dos mais importantes em um jogo de corrida é a dificuldade. Uma boa inteligência artificial (IA) é necessária para criar um sentimento real de progresso e rivalidade na busca pelo pódio. Em Grid Legends, muitas vezes eu percebia que a IA não funcionava da maneira esperada, principalmente nas dificuldades mais altas.

O jogo é bem fácil, seja qual for a dificuldade que você escolher. É comum ver a IA muitas vezes abrindo caminho para que o seu piloto passe na frente, e acaba fazendo muito pouco para tentar recuperar a posição. É extremamente raro eu terminar uma corrida sem ser em primeiro lugar, e isso decepciona por diminuir a sensação de desafio, a de aprendizado e progressão. Caso queira sentir um mínimo de um desafio, recomendo jogar na dificuldade mais alta – mesmo que nela também não mude muita coisa.

Além disso, há um sistema de “nêmesis”, onde um rival deveria focar no meu carro durante toda a corrida. Resumindo: ele tinha de responder à minha forma agressiva de correr com ainda mais agressividade. Só que eu não senti diferença alguma em relação aos outros pilotos controlados pela máquina e me pareceu um desperdício de uma boa ideia. 

Para aumentar a sensação de competição, a Codemasters usou de um recurso bem artificial. É frequente ver carros rodando ou capotando no meio da pista de uma hora para outra. Isso era bem legal no início, mas com o tempo ficou forçado e sem impacto.

Modos de jogo tradicionais

Além do modo história, Grid Legends contém outros modos de jogo mais “clássicos”. Além do multiplayer, o que mais deve prender a atenção do jogador é o modo carreira – onde completamos corridas dentro de eventos e progredimos para o próximo, recebendo recompensas como dinheiro e experiência, que podem ser usadas para comprar novos carros e conseguir melhorias para as classes.

Felizmente a variedade de veículos é muito boa, indo de esportivos até carros menos potentes como um fusquinha básico. Entretanto, depois de horas jogando nas mesmas pistas repetidamente, eu me senti entediado.

O jogo traz também um sistema de criação de corridas, que, apesar de ser bem simples, funciona. Não é nada revolucionário, mas diverte e abre possibilidade de conteúdos criados pela própria comunidade.

Gráficos e jogabilidade aquém dos padrões atuais  

Os gráficos de Grid Legends são bem medianos. O jogo às vezes apresenta belos cenários, mas não existe nada de surpreendente no modelo de seus carros ou no design de suas pistas, principalmente quando tivemos no ano passado exemplos bem melhores dentro do gênero. Dirt 5, outro jogo da própria Codemasters, conta com gráficos muito mais memoráveis. A impressão que tive é que Grid Legends se prende muito a uma identidade visual que já está ultrapassada. 

Além dos visuais, a jogabilidade também é básica para os dias de hoje. A física dos carros chega a ser estranha e as colisões parecem não surtir efeito no carro. Já a dirigibilidade – o ponto mais importante em um jogo de corrida – é sem sal e passa a uma sensação muito artificial. Mesmo que Grid Legends seja um jogo mais focado no Arcade, dá para fazer algo assim com uma jogabilidade mais crível. 

Conclusão

Grid Legends não tenta reinventar a roda e com certeza é possível se divertir por algum tempo em suas corridas. A campanha é uma novidade que agrega e sua variedade de carros é satisfatória. Uma pena que as pistas sejam tão parecidas e tanto gráficos quanto jogabilidade fiquem distantes dos melhores do gênero disponíveis no mercado atualmente, dando um ar de ultrapassado para o jogo da Codemasters.

Prós

  • Novo modo história é competente
  • Boa variedade de veículos
  • Modos extra de jogo funcionam bem

Contras

  • Inteligência artificial muito fraca
  • Gráficos ultrapassados
  • Pistas entediantes e sem inspiração
  • Jogabilidade muito básica para padrões atuais

Nota: 5.0/10.0

Uma cópia do jogo para PC foi fornecida pela Electronic Arts para a elaboração desta análise.

Artigos relacionados