Share Button

Já faz algum tempo desde que tivemos um jogo da saga “MechWarrior” que fizesse jus ao nome dessa excelente franquia baseada no universo BattleTech. Para ser bem sincero, até hoje nenhum havia conseguido me divertir da forma que o segundo jogo lançado em 1995 para DOS. Eu disse “havia” pois isso mudou com o novo “MechWarrior 5: Mercenaries”, lançado este mês com exclusividade para PC.

Começarei detalhando o principal motivo desse jogo ser tão bom: a jogabilidade. Se você é fã dessa franquia, vai se sentir em casa. As batalhas contra os inimigos na forma de tanques, helicópteros, aeronaves e outros Mechs são em sua grande parte eletrizantes e requerem que você preste atenção em cada detalhe da interface para garantir que tem munição nas suas armas, seu Mech não está sobreaquecendo e também tentar proteger as partes mais vulneráveis dele, apontadas em vermelho.

Você pode optar por jogar em primeira ou terceira pessoa, com isso sendo uma opção que vai do gosto pessoal de cada um. Há também um tutorial que te ensina passo a passo como controlar seu Mech, já que você precisar usar vários botões do teclado para fazer isso e não apenas, por exemplo, os tradicionais WASD para se movimentar.

Para atacar você conta com vários tipos de armas diferentes, de acordo com o Mech que você estiver utilizando, sendo inclusive possível personalizá-los antes de cada missão, para deixá-los mais com a sua cara e seu estilo de jogo. É necessário, no entanto, tomar cuidado para não o deixar somente com armas que demoram muito para recarregar ou que aquecem demais o Mech, caso contrário poderá se ver numa situação de aperto durante os combates.

As missões são boas, mas um tanto repetitivas. Geralmente colocam você sempre para, por exemplo, defender certos assentamentos, assassinar alguém ou destruir uma base inimiga. Ao menos os cenários com muitas edificações destrutíveis aumentam a imersão e o realismo.

Existe a possibilidade de contratar pilotos durante a campanha para te ajudar nas missões, desde que você tenha o dinheiro necessário para isso e também Mechs para que eles possam pilotar. Sempre que uma missão for concluída, é preciso reparar os robôs caso eles tenham sido muito danificados, antes de partir para a próxima tarefa. Se uma arma for destruída, precisará substituí-la por uma igual ou outra diferente. Todas as armas, equipamentos, Mechs e pilotos podem ser comprados e contratados com os créditos que você ganha nas missões.

Se não quiser jogar com aliados controlados pela IA ou sozinho, ainda existe a opção de jogar as missões online no modo cooperativo com mais três jogadores. Dependendo da situação, é uma escolha adequada caso você esteja passando apuros em alguma missão mais difícil.

A história é o ponto mais fraco de “MechWarrior 5: Mercenaries”, com diálogos e personagens completamente ignoráveis. Você é o comandante de um grupo de mercenários em busca de vingança pela morte de seu pai, mas que antes precisa elevar sua reputação para ganhar notoriedade e obter novos contratos que podem ser acessados por meio de um mapa estelar. A fraquíssima história é apenas uma desculpa para você cair dentro dos campos de batalha com seus Mechs, que é onde o jogo verdadeiramente brilha.

Esse título me fez lembrar um pouco do tempo quando eu era criança e explorava os cenários em cada missão em busca dos objetivos em “MechWarrior 2”, só que dessa vez com visuais muitíssimo melhores, fornecidos graças a Unreal Engine 4. Graficamente cumpre bem seu papel, sendo um jogo leve se você não decidir rodar com todas as opções gráficas no máximo, pois algumas como Sombras, Efeitos, Folhagem e Pós-Processamento pesam até em computadores com placas de vídeo de ponta. No meu caso, utilizei uma mistura de especificações no “Alto” e “Máximo” para obter mais de 60 fps constantes em 1440p num PC com Core i7 4790K, 16GB de RAM e GeForce RTX 2070 Super.

Entretanto, achei os mapas um tanto pequenos demais. Nem chegam perto da imensidão vista naqueles de “MechWarrior 2”. Mesmo assim, o fato da jogabilidade ser tão divertida acaba por fazer essa pequena falha de design não incomodar muito.

Além da campanha, há um modo chamado “Instant Action” com mapas e missões criadas pelos jogadores ou aleatoriamente pelo game, sendo um modo rápido e prático de aproveitar aquilo que o game tem de melhor.

É uma pena que o jogo não tenha suporte para português, o que acabará por afastar muitos jogadores brasileiros atuais que não gostam ou não preferem jogar games em inglês. Se não for este o seu caso e está à procura de um jogo de tiro com uma pegada diferente da tradicional, “MechWarrior 5” pode ser a resposta às suas preces.

CONCLUSÃO

“MechWarrior 5: Mercenaries” é um ótimo jogo para fãs do universo BattleTech. Não é perfeito, mas na minha opinião é um dos títulos mais competentes da série. Por ter uma jogabilidade um pouco complexa em comparação com outros jogos de tiro atuais, não é feito para quem quer apenas pegar o mouse e sair atirando. Mas se você, assim como eu, estava à espera desse game, pode comemorar, pois sua jogabilidade fornece exatamente aquilo que espera-se de um título dessa saga.

PRÓS

  • Cenários com muitos objetos destrutíveis
  • Jogabilidade complexa e divertida
  • Muita customização
  • Modo coop online funciona bem

CONTRAS

  • Pouca variedade nas missões
  • História muito fraca

NOTA – 8.0

Uma cópia do jogo foi fornecida pela Piranha Games para elaboração desta análise