Share Button

Estreou nesta sexta-feira (19) o sexto episódio de “Saint Seiya: Soul of Gold“, a nova animação dos Cavaleiros do Zodíaco focada nos Cavaleiros de Ouro (saiba mais lendo nossa matéria especial). Você pode assistir a todos os seis episódios através dos canais oficiais pela transmissão no Brasil, Daisuki (gratuito) ou pelo Crunchyroll (precisa de assinatura), ambos com legendas em português. Vamos então para a nossa análise.

Após o melodrama desnecessário de Aiolia e o falso Shura no capítulo anterior, o episódio de hoje avançou a trama de forma consistente, revelando vários pontos interessantes. Primeiramente, vemos os cavaleiros Mu, Shura, Aldebaran, Aiolia e Dohko entrarem na gigantesca árvore Yggdrasil e lá descobrem que, para destruir uma semente maligna que está crescendo e pode destruir o mundo, eles precisam antes destruir as sete estátuas localizadas em Câmaras no interior da Yggdrasil.

Assim, seguindo a tradição da série, cada um dos cinco cavaleiros seguem por caminhos separados e não demora  muito para cada um encontrar a sua estátua e seu oponente: Aldebaran encontra seu velho conhecido Hércules; Aiolia encontra novamente Frodi; Mu que já chega botando ordem na casa contra Fafner para um segundo round; Shura encontra o traidor Camus, o que promete ser um confronto épico e finalmente Dohko, que encontra um misterioso adversário, cujo rosto não aparece. Vale notar que Lyfia, ignorando os avisos dos dourados para ir embora da Yggdrasil, acaba entrando em uma das câmaras, a mesma que Dohko se encontra (aparentemente antes dele chegar) e algo misterioso acontece.

Mas, um pouco antes disso pudemos conferir que Andreas, o chefão dos Guerreiros Deuses, já havia se encontrado com Aiolos, que acabou sendo derrotado sem muito esforço (ele estava muito próximo da Yggdrasil, que consumia sua força) pelo vilão, mas não antes de deixar um presente para Andreas: uma cicatriz no olho feita por uma flecha dourada (que acertou a Yggdrasil, terá essa flecha algum papel significativo futuramente?).

Andreas reuniu os Guerreiros Deuses e deu a eles as novas Safiras de Odin, que são cor de rosa (e hoje eu descobri que realmente existem safiras de outras cores, além das azuis). Essas safiras deixam as armaduras dos Guerreiros Deuses mais poderosas, o que pode ser um problema para os dourados.

Também ficamos sabendo que Andreas mantém Hilda e sua irmã Freya (até então seu paradeiro era um mistério) prisioneiras dentro do castelo. O episódio teve pouca ação, com um breve confronto entre Andreas e Aiolos, que se concentrou na narrativa, o que é muito importante também, obviamente.

Gostei bastante do episódio, que construiu a base para boas tramas e conflitos futuros. A prévia do próximo episódio diz que teremos Armadura Divina contra Armadura Divina, provavelmente será focado no combate entre Shura e Camus (mal posso esperar! E aí, quem vence? Eu aposto no Camus!).

O próximo episódio agora só no dia 3 de julho. Utilizem o espaço dos comentários para deixar suas opiniões e teorias sobre o sexto episódio e do que podemos esperar no futuro. Até daqui a duas semanas!