Share Button

Ano passado muito se comentava a respeito da nova tecnologia anti-pirataria chamada Denuvo. Ela era tão boa que um grupo chinês especializado em quebrar estas proteções, chamado 3DM, declarou que havia desistido de crackear jogos single-player, mas disse que voltaria em um ano para ver como estavam os avanços em tecnologia, que talvez fizessem este trabalho ficar mais fácil.

Para tristeza das produtoras, eles estavam certos. Vários jogos com Denuvo vem tendo suas proteções quebradas ultimamente, e a velocidade com que isso vem ocorrendo só aumenta. O último grande lançamento a usar esta tecnologia, Resident Evil 7, foi crackeado apenas cinco dias após ter chegado ao mercado.

O diretor de marketing da Denuvo, Thomas Goebl, comentou a respeito disso ao site Eurogamer: “Por favor observem que nós sempre posicionamos nossa solução anti-pirataria como difícil de ser quebrada, e não inquebrável. Até agora apenas um grupo de piratas conseguiu contorná-la.”

“Como sempre, continuamos trabalhando para melhorar nossa solução para criar atualizações de segurança nas próximas versões da nossa tecnologia anti-pirataria. Faremos o mesmo com o aprendizado obtido com este contorno. É correto que o título em questão foi crackeado alguns dias depois de sair. Dado o fato de que todo jogo desprotegido é crackeado no dia do lançamento – assim como todas as atualizações de jogos – nossa solução fez uma diferença para este título.”

Olha não vou discordar isso, viu. Para um jogo de alto orçamento, mesmo alguns dias sem pirataria depois do lançamento já é algo que ajuda muito nas vendas.

Alguns estúdio que usaram Denuvo em seus jogos removeram completamente a proteção depois que ela foi quebrada. Playdead com Inside, por exemplo, que foi crackeado quatro meses depois de sair. O problema é que o tempo que leva para isso acontecer está diminuindo bastante, e se continuar nesse ritmo o Denuvo poderá vir a se tornar irrelevante.

Existem empresas que não usam qualquer tipo de proteção em seus jogos mas conseguem obter sucesso e lucro com eles. É o caso da CD Projekt, com The Witcher 3: The Wild Hunt, que vendeu milhões de cópias no PC. Será que as produtoras que hoje usam Denuvo abandonarão de vez a proteção se outros jogos com ela forem crackeados em menos de uma semana como Resident Evil 7? Só o tempo nos dirá.

Via PC Gamer