Share Button

O início de cada ano costuma despertar a curiosidade dos jogadores sobre as novidades que estão por vir. Não bastasse a ansiedade pelos grandes jogos, eventos como a CES – principal feira de tecnologia de consumo do mundo, sempre realizada em janeiro, nos Estados Unidos – dão o tom das tendências e das tecnologias que em breve estarão nas casas dos usuários.

Em 2020, muitas novidades boas devem chegar, não apenas em relação a hardware e games, mas também ligadas ao cenário competitivo dos jogos eletrônicos e à forma de consumir tudo isso.

Como sou PC gamer e entusiasta, começo 2020 curioso e empolgado com um tema que está frequentemente na boca dos porta-vozes desse mercado: imersão. Já há alguns anos as fabricantes se empenham em desenvolver produtos que nos façam sentir cada vez mais próximos da realidade dos jogos, e estão conseguindo. Acessórios, gráficos realistas, retroiluminação, áudio espacial, comunicação in-game e muitos outros recursos ajudam nesse objetivo, cujo limite ainda é um mistério.

Na CES, vimos alguns anúncios que corroboram com essa tendência. A AMD e Intel, por exemplo, revelaram produtos que deixarão as experiências no PC ainda mais bonitas e realistas. Enquanto a primeira mostrou o que considera ser o melhor processador do mercado, o Ryzen 4.000, a segunda investiu na placa de vídeo com o Xe para concorrer com a linha Radeon, da própria AMD. Assim como em outros mercados, em tecnologia vale a velha máxima: concorrência gera inovação.

Ainda sobre imersão e CES, vimos anúncios de monitores curvos de até 49 polegadas, computadores modulares, óculos de realidade virtual mais poderosos, periféricos com maior sensibilidade e um dos grandes atrativos do evento: produtos-conceito com potencial para mexer com os padrões do mercado e, principalmente, com o entusiasmo dos gamers. Nesse ano, entre os exemplos de protótipos que melhorariam bastante a imersão nos jogos estão um simulador de corrida com projeção de 202 graus, plataforma hidráulica e controles manuais completos, e uma luva háptica, que a princípio não será usada em jogos, mas que pode fazer os usuários sentirem texturas virtuais e coletar dados biométricos.

Outra forma de imergir nos games que certamente se destacará em 2020 diz respeito aos esportes eletrônicos. Com cada vez mais times, mais público, mais investimentos e eventos grandiosos, é um mercado que deve continuar surpreendendo. A crescente divulgação da modalidade pela mídia, o número cada vez maior de jogadores e o enorme volume de conteúdo disponível em plataformas de vídeo atrai mais e mais entusiastas, que acompanham seus times e jogadores preferidos de forma muito semelhante ao que vemos no Brasil com os esportes tradicionais.

O ano deve marcar também uma participação ainda maior das mulheres nos eSports. De acordo com a Newzoo, 38% da audiência de transmissões de jogos competitivos no Brasil já é formada pelo público feminino. Além disso, com cada vez mais times formados por meninas e jogadoras se destacando – em várias modalidades –, a tendência é que sirva de inspiração para o surgimento de novas players, tornando o cenário nacional mais diverso e melhor!

Como no fim das contas o que todo mundo quer é jogar, uma tendência importante para 2020 é o aumento das opções de plataformas de jogos. A Microsoft já anunciou seu novo console, o Xbox Series X, assim como a rival Sony revelou seu PlayStation 5, mas as novidades não param por aí. O ano de 2020 marcará a verdadeira chegada dos serviços de streaming de games para PCs e dispositivos móveis, como o Stadia, do Google, que foi lançado no final do ano passado em alguns países (e ainda com muito a melhorar). Ao que tudo indica, outras empresas, como a Amazon, já se organizam para entrar nesse mercado, que tende a crescer junto com o poderio da banda de internet e a chegada do 5G – que, no Brasil, não deve aparecer tão cedo assim.

Obviamente, como de costume, milhares de jogos serão lançados, e por isso nem entraram na minha lista de tendências para esse ano. Fato é que o mercado de games segue forte e se reinventando a cada dia para proporcionar experiências variadas e interativas a usuários de inúmeros perfis em busca de entretenimento. Em 2020, existirão ferramentas capazes de tornar a diversão ainda mais real e poderemos compartilhar esse momento com outras pessoas a partir de praticamente qualquer lugar. Gameplay não vai faltar, é só escolher como vai querer o seu.

Artigo escrito por Felipe Oliveira, gerente de produtos da 2A.M., marca de computadores e periféricos gamers, com mais de 10 anos de experiência em empresas de games e hardware, como Razer e Dell.