Share Button

A série Asphalt começou nos celulares, e foi pioneiro no segmento. Totalmente arcade, o foco sempre foi em apresentar carros esportivos de marca e pistas criativas, com atalhos. Uma espécie de mistura entre Burnout e Need for Speed. Itens na pista se resumem a dinheiro, ferramentas para consertar o carro e nitro.

Anos mais tarde, com a expansão da Gameloft, os donos de DS puderam conhecê-la. Sendo um dos títulos de lançamento, não impressionava, mas divertia. E, curiosamente, a mesma coisa acontece com o Nintendo 3DS.

Se você é dono de um aparelho Apple ou Android e já jogou as versões 5 e 6, logo vai reparar que há algo muito semelhante aqui. E não, não é apenas impressão: imagine um misto deste dois citados mas acrescentando o efeito 3D. É o que temos aqui. Carros, pistas e opções são virtualmente as mesmas, com algumas leves mudanças visuais.

Asphalt 3D possui um modo carreira com 17 pistas e diferentes eventos que fogem um pouco das corridas normais, incluindo eliminações por batidas e disputas de tempo. O seu desempenho é agraciado com experiência e dinheiro, que destravam novos carros e motos (mais de 40 no total) e upgrades.

Fora do modo carreira, há pouco a oferecer. O multiplayer se resume a partidas locais entre 6 jogadores – ou seja, nada de modo online – e o recurso StreetPass troca algumas informações com outros usuários, como ranking, o que destrava itens exclusivos.

Visualmente, Asphalt 3D está bem abaixo do que vimos em Asphalt 6. Vendo o potencial do 3DS, é um bocado decepcionante. Também existem alguns sérios problemas de colisão e física. Não foram poucas as vezes que fiquei travado em muros ou meu veículo reagiu de forma estranha depois de se chocar com um carro. Ao menos a trilha sonora foi muito bem trabalhada e a música eletrônica agrada bastante.

O efeito 3D

Asphalt 3D está longe de ser um bom título para mostrar o potencial do 3DS. O 3D não impressiona e talvez seja até a causa de algumas quedas de frame. Mas alguns elementos se destacam como a neve caindo na pista e a interface que se move. Uma pena que foi pouco aproveitado.