Share Button

Biker Mice from Mars

Biker Mice from Mars foi um desenho animado criado por Rick Ungar e televisionado originalmente nos EUA em 1993, rendendo três temporadas antes de ser cancelado; também foi televisionado no Brasil nos anos 90, pela TV Colosso. O desenho agradou a muita gente e virou um jogo de corrida para Super Nintendo, que não esconde a clara inspiração em Rock N’ Roll Racing, o que é longe de ser ruim, resultando em um bom game mesmo que não use de forma ampla os personagens da série animada. 

Direto ao ponto

Antes de qualquer coisa é preciso deixar claro que o game baseado no icônico desenho animado dos anos 90 se aproveita de poucos elementos do mesmo, limitando-se aos personagens principais do desenho, as motos e temática visual, portanto, não espere achar aqui um modo campanha que acompanhe o que foi visto na obra de Rick Ungar. Essa decisão no final se mostrou acertada, já que sem a obrigação de ter de portar a história para o videogame, a Konami aplicou seu tempo e recursos no que realmente interessa, na jogabilidade e visual.

O game de corrida de motos conta com apenas dois modos de jogo além do multiplayer, traz câmera isométrica, que era muito útil antigamente para simular gráficos 3D e clara inspiração em Rock N’ Roll Racing, desde o controle das motos aos sistemas de armas, pegando emprestado também à caixa de itens de Mario Kart, que lhe rendia poderes aleatórios (estrelas, cascos de tartarugas, nitros, etc) conforme passava pelas áreas demarcadas.

Com essas referências é fácil para uma pessoa que nunca jogou pensar que o trabalho da Konami resulta em apenas mais um jogo genérico tentando se aproveitar do sucesso alheio, algo que vimos acontecer muito nos dias atuais com games copiando a exaustão fórmulas consagradas, como de God of War e GTA. Porém, tire esse pensamento da cabeça, pois apesar de trazer uma jogabilidade muito parecida com o famoso jogo da Blizzard, Biker Mice from Mars possui características e identidade própria, se diferenciando de sua inspiração e deixando claro que apenas foi humilde em reconhecer a fórmula do rival como sendo a melhor.

As mudanças começam na dinâmica das corridas, que possuem um ritmo mais lento e cadenciado o que facilita na hora de controlar as motos, principalmente para os novatos ou quem pega em um game do gênero pela primeira vez; a curva de aprendizado de Rock N’ Roll Racing era alta. A quantidade de motos são poucas, apenas seis que é o número de personagens aproveitados da série animada, porém compensa com cada moto possuindo atributos e características únicas, como aceleração e velocidade máxima diferentes, melhor eficiência nas curvas e ataques únicos, o que compensa de certa forma as poucas opções de corredores.

Além dos poderes únicos dos personagens, sempre que você passar pela linha de chegada (as pistas são no formato de circuito com quatro voltas) uma caixinha na parte de cima da tela irá selecionar aleatoriamente um dos diferentes itens disponíveis no jogo, que conforme sua posição na corrida lhe beneficiará com itens de suporte ou para atacar diretamente seus adversários, no caso de estar nas últimas colocações; essa mecânica é emprestada” de Mario Kart, porém funciona tão bem quanto nas corridas do bigodudo. Esses itens trazem vantagens diversas e são bem vindos, principalmente por que diferentemente do que acontece em Mario Kart, os adversários também parecem saber usar os itens, tirando a sensação de que você é o único que consegue usa-los de forma eficiente e trazendo mais um desafio para as corridas.

As pistas são em grande quantidade, porém apenas variam em suas configurações, com mais ou menos curvas, mais armadilhas entre outras, já que a temática visual delas se limita a apenas cinco no total. Os modos de jogo, além do tradicional multiplayer em tela divida, são o Main Race, onde você terá várias fases e cada uma delas possui cinco corridas. Nesta modalidade cada corrida rende pontos e dinheiro – que é usado para personalizar sua moto – e é preciso se classificar no mínimo em terceiro em cada fase para conseguir prosseguir; o vencedor é definido na última fase e não importa suas classificações anteriores, precisa vencer a última para levantar o troféu.

O segundo modo de jogo é bem divertido, Battle Race, que segue a risca o modo Main Race, com a diferença que se você destruir a moto de seus adversários a corrida acaba para eles, o que muda bastante a dinâmica das partidas, possibilitando ao jogador tomar uma atitude diferente, sem contar que no modo multiplayer essa modalidade torna-se muito mais divertida e acirrada; de início, cada moto pode aguentar somente três tiros, porém é possível personaliza-la para aguentar mais danos.

Fora esses dois modos principais, existem ainda um para praticar e o modo versus contra seu amigo, com somente vocês dois nas pistas. Pode parecer pouco conteúdo, mas a boa jogabilidade, seleção de nível de dificuldade para agradar a todos, pistas diferentes entre si com armadilhas e características próprias e o sistemas de armas e itens compensam a quantidade pequena de modos de jogo.

Ótimos gráficos e muito Rock N’ Roll

A Konami fez bonito em Biker Mice From Mars, com excelentes gráficos estilizados para ficar mais parecido possível com o que era visto na série de desenho animado. Os personagens, motos são bem fiéis à obra de Rick Ungar, com atenção especial aos detalhes e ótimo trabalho na modelagem dos personagens e motos, acompanhados por cenários bem desenhados, cheios de detalhes, esbanjando charme. O jogo ainda conta com efeitos diversos, como das armas e itens, explosões entre outros, todos bem feitos e com cuidado para não deixar passar nenhum tipo de bug visual.

A parte sonora é outro show a parte, com efeitos sonoros de primeira conferindo mais charme aos belíssimos gráficos do jogo. A trilha sonora possui boas faixas de Rock, casando com a proposta da jogatina e deixando as partidas mais animadas, ficando em igualdade ao ótimo trabalho feito em Rock N’ Roll Racing, da Blizzard.

No geral, jogar Biker Mice From Mars é como estar no controle do próprio desenho animado de Biker Mice From Mars, respeitando a identidade visual e características da obra, mostrando o excelente trabalho da Konami no que se diz respeito aos gráficos e sons.