Share Button

Lançado originalmente para o PC Engine, Castlevania: Rondo of Blood é considerado por muitos como o último jogo a seguir o estilo clássico da série. Servindo como uma introdução para Symphony of the Night, o jogo narra a história de Richter Belmont e Maria Renard, que mais uma vez tem que explorar o castelo do Conde Drácula para acabar com seu reino de terror e trazer a paz à Terra.

Mesmo sendo reverenciado como um dos melhores títulos da série, foram poucos os que tiveram a oportunidade de jogar o título quando foi lançado – afinal, o PC Engine nunca foi uma plataforma muito popular. O jogo contou com um port para o Super Nintendo, batizado como Castlevania: Dracula X, que alterava muito da história original e eliminava vários dos elementos que tornavam Rondo of Blood uma experiência única.

Castlevania: The Dracula X Chronicles é um remake desse jogo clássico lançado em 2007 para PSP, que recria toda a experiência em um mundo tridimensional. Mantendo a mesma jogabilidade clássica, mas utilizando gráficos que se aproveitam da capacidade superior do portátil, o jogo é a primeira chance que o público ocidental tem de conferir este que é um dos capítulos mais interessantes da série Castlevania.

Novidades mantendo a essência

Ao contrário de outros remakes que povoam o mercado, The Dracula X Chronicles pode ser considerado quase como uma cópia exata do jogo em que é baseado. A diferença fica por conta da inclusão de uma abertura feita em computação gráfica, inclusão de diálogos falados durante as cenas interativas (com um estílo semelhante ao de Symphony of the Moon) e, claro, os gráficos totalmente tridimensionais.

Porém, fora a parte visual e sonora que ganharam incrementos notáveis, a experiência original se manteve intacta. Isso faz com que aqueles que já tiveram a oportunidade de conferir o jogo original se familiarizem automaticamente com os elementos apresentados na tela, incluindo as habilidades de cada personagem e a localização de itens e inimigos.

Inicialmente, o jogador controla somente Richter Belmont que, seguindo a tradição dos heróis da série, conta como um chicote como sua arma principal. Ao contrário dos jogos mais novos, que incluíram elementos de RPG e exploração, The Dracula X Chronicles utiliza um sistema de fases separadas nas quais o jogador conta sempre com as mesmas habilidades do começo ao fim da partida – após três mortes, aparece a tela de continue e é preciso iniciar a fase escolhida desde seu começo.

Após certo tempo de jogo – e caso você faça as opções certas – é possível contar também com a figura de Maria Renard como personagem jogável. Embora ela não tenha a mesma força ou resistência de Richter, suas poderosas magias e agilidade fazem com que muitas vezes ela se torne a melhor opção para explorar cenários recheados de inimigos.

Desafie suas habilidades

Outra diferença notável em relação aos títulos mais recentes da série é que The Dracula X Chronicles possui um nível de desafio bastante alto, mesmo nos cenários iniciais. Como não é possível contar com um sistema de evolução para conquistar novas habilidades, nem itens e equipamentos que recuperam energia, o jogador é forçado a aprimorar constantemente suas habilidades caso deseje sobreviver.

Aliado aos diversos segredos espalhados por cada fase e os diversos caminhos paralelos que surgem a todo momento, o jogo é um bom teste para quem se considera um veterano na série Castlevania. Felizmente, vale a pena perder algumas horas explorando cada canto (e morrendo várias vezes), já que isto recompensa o jogador não só com mais detalhes da história central como em bônus exclusivos que prolongam em muito a experiência principal.

Três jogos em um

Um dos principais atrativos que justificam a compra de The Dracula X Chronicles é a possibilidade de acessar dois outros jogos famosos da série Castlevania. Além da versão original de Rondo of Blood totalmente traduzida para o inglês, jogadores dedicados podem conquistar a possibilidade de jogar novamente Castlevania: Symphony of the Night na telinha do portátil – com todos os elementos que consagraram este clássico, incluindo todos os extras presentes na versão para Saturn.

Esses extras exclusivos fazem com que, somadas as aventuras, The Dracula X Chronicles seja a mais longa aventura da série disponível em qualquer console. É claro, duas delas são o mesmo jogo com diferenças visuais, mas vale a pena se aventuras duas (ou mais) vezes no universo de Rondo of Blood, que se mostra um dos títulos mais memoráveis da série. Isso sem contar com Symphony of the Night, sempre apontado em votações como o melhor jogo a carregar o título Castlevania.