Share Button

Ian Bell, CEO da Slightly Mad Studios, falou a respeito de sua indignação com o tratamento recebido pela Electronic Arts antes de criarem Project CARS.

Durante uma sessão de perguntas e respostas com SpotTheOzzie no YouTube, Bell conversou sobre o desenvolvimento de Project CARS 2, mas também aproveitou para explicar como a EA tentou destruir a Slightly Mad Studios e roubar sua tecnologia.

“Nós fizemos um jogo chamado Need for Speed: Shift, fizemos um jogo chamado Shift 2 e a EA veio até mim e disse: ‘Nós lhe daremos 1,5 milhão (de dólares) se você concordar em não conversar com qualquer outra distribuidora, para combinar quaisquer outros jogos ou trabalhar em qualquer outro acordo com qualquer outra distribuidora. E nós lhe daremos 1,5 milhão e vamos autorizar Shift 3’. Então eu disse OK. Isso parece um bom negócio. Eu paguei o pessoal, muitos bônus, e duas semanas antes de começarmos Shift 3, foi cancelado. Sem nenhum aviso. Eles disseram: ‘Não vamos mais fazer isso’.”

“Estávamos em apuros, não tínhamos nada. Estávamos acabados. Eles literalmente destruíram nossa empresa. Eles tentaram nos matar, eles tentaram roubaram nossa tecnologia também. Eles tentaram nos f*der, não há outra maneira de definir isso. Isso é o que eles tentaram fazer. E não temos nenhum amor pela EA e esta empresa.”

Se isso for verdade, trata-se de um atitude bastante repugnante por parte da Electronic Arts.

Você pode ouvir Ian Bell falando tudo isso abaixo, a partir de 6:14:08.

No mesmo vídeo, Ian dá a entender que o próximo título da Slightly Mad Studios poderá ser baseado na franquia de filmes Velozes & Furiosos.

“Adivinhe o que o último jogo de Need for Speed está fazendo, e pense em qual filme de Hollywood estão copiando. E aí eu posso lhe dizer que nós temos um acordo de seis anos com esta grande empresa de Hollywood que irá derrotar o que Need for Speed está fazendo. Pelos próximos seis anos.”

Project CARS 2, o mais recente título da Slightly Mad Studios, sairá amanhã para PS4, Xbox One e PC.

Via Wccftech