CuriosidadesEspeciais

Chiptune: conheça a história das “musiquinhas de videogames” dos anos de 1980 e 1990

As músicas de Chiptune, também conhecidas como Chip Music, são as trilhas sonoras que marcaram os jogos eletrônicos dos anos de 1980 e 1990. Sabe aquelas musiquinhas que tocavam em jogos como Sonic, Mario e Pac-Man? Pois eram feitas em chiptune.

Os videogames antigos tinham um chip que simulava os instrumentos musicais, já que na época a tecnologia não permitia que a trilha sonora fosse feita com instrumentos “de verdade”. Isso dava uma baita limitação para os compositores fazerem suas trilhas, que tinham que “tirar leite de pedra” para transmitirem a sensação desejada ao jogador, já que não era possível fazer composições muito complexas

O primeiro game a utilizar uma música foi o jogo para arcade “Gun Fight” (1975), que usava uma faixa para a abertura do jogo. Já o primeiro título a usar um barulho contínuo foi o Space Invaders (1978) para aumentar a tensão do jogador a medida que ele ia derrotando os alienígenas. Já o primeiro game que teve uma música de fundo contínua foi o game Rally-X da Namco, de 1980.

Três anos mais tarde, a Konami lançou o game Gyruss, que usava cinco chips de som para criar uma versão da Toccata e Fuga em D menor do Bach. Já em 1984, o funcionário da Namco, Haruomi Hosono, lançou um disco de vinil chamado “Video Game Music” , sendo o primeiro a fazer um compacto de várias músicas de jogos para Arcade da época.

Nessa época houve diversos avanços tecnológicos, mas um deles que é considerado um “marco” foi quando a Yamaha introduziu a FM Synthethis, que permitia sons mais complexos e caracterizaram as máquinas de arcade em 16 bits, e também os jogos do Mega Drive.

A trilha sonora de Streets of Rage 2, composta por Yuzo Koshiro, é considerada revolucionária e muito a frente do seu tempo por conseguir misturar o funk (americano), a música house e trance, transmitindo a sensação de uma discoteca dentro de um jogo de videogame com a tecnologia chiptune.

Com a popularização da mídia em CD e não mais em cartucho, os games passaram a ter sons mais sofisticados e o Chiptune passou a se tornar algo mais underground. No entanto, hoje em dia é considerado um estilo de música, com bandas e subvertentes. No Brasil, o coletivo Chip Panzé é o mais conhecido que compõe faixas do gênero.

https://www.youtube.com/watch?v=dMXc9eeAtoA