Share Button

Colecionar alguma coisa é um hobby bastante popular e que está presente também no universo gamer em várias categorias. Há quem colecione consoles, jogos, periféricos ou como é o caso do canadense Dan (sobrenome não divulgado para proteger sua privacidade) de 42 anos, artes originais das capas de jogos clássico.

Dan começou seu hobby há cerca de 10 anos e recentemente ele fez uma oferta generosa por um item muito desejado: US$ 100 mil (cerca de R$ 324.600,00 na cotação do dia) pela ilustração original usada na capa do clássico Contra do Nintendinho 8 Bits.

Antigamente, quando ainda não havia arte digital em alta resolução, as capas de caixas de jogos eram pintadas à mão, geralmente por artistas profissionais, e fotografadas para a capa da caixa. As pinturas eram feitas de tamanhos maiores do que o produto final, geralmente de cerca de 18 x 61 cm, com exemplos maiores que chegam a aproximadamente 20 x 76 cm de tamanho.

Dan começou sua vida de colecionador acumulando jogos completos e lacrados do NES, mas acabou mudando o foco quando comprou suas primeiras peças de arte.

Dan com arte original de Street Fighter II: Special Champion Edition para o Mega Drive

Na época, foram 35 mil dólares por três peças, e eu estava lá sentado pensando ‘oh meu Deus, o que foi que eu fiz’“, disse ele para o site Kotaku. “Eu as recebi pelo correio e minha boca bateu no chão. Eu não podia acreditar no nível de detalhes e na cor, e o quão incrível elas pareciam pessoalmente“. Logo, ele estava vendendo as jóias de sua coleção de jogos para pagar por mais arte.

Em 2014, ele trocou sua cópia lacrada do raro jogo de NES “Stadium Events“, uma das aquisições mais desejadas entre os colecionadores de jogos e que na época valia cerca de US$ 30 mil (cerca de R$ 97 mil), em troca da pintura original do obscuro jogo da Taito, “Panic Restaurant“.

Agora 10 anos depois, Dan diz que possui mais de 50 artes originais em sua coleção, que inclui não só ilustrações das capas frontais das caixas, mas também imagens originais usadas em propagandas, capas de revistas e outros propósitos promocionais.

Enquanto sua coleção abrange muitos gêneros e empresas diferentes, ele diz que suas duas principais paixões são jogos da Konami e da Capcom. Recentemente sua coleção aumentou com a arte de “Mega Man 7” do SNES (imagem abaixo), que recebeu junto com uma compra de 40 peças de arte ao mesmo tempo.

A primeira pintura no primeiro pacote foi do Mega Man 7 e eu fiquei lá sentado, olhando para ela por meia hora. Realmente lindamente feito, grande, 20 por 30, título chave, cores de aparência incrível, simplesmente maravilhosa“.

Além dos altos valores, uma das dificuldades de colecionar arte original de games é descobrir onde elas estão, se é que ainda existem. Hoje em dia há um pouco mais de atenção para essas obras e os artistas que as criaram, mas quando Dan começou sua coleção, não havia quase nada.

Após muita pesquisa e “muitas ligações humanamente possíveis“, as vezes essas pistas terminam em desapontamento, descobrindo que a obra original foi destruída, como foi o caso da arte para o primeiro jogo de Castlevania para o NES, que provavelmente foi destruída no grande terremoto de Hanshin em 1995, que destruiu a sede da Konami.

Felizmente ele descobriu que a arte de Contra lançado nos EUA (imagem acima) não havia sido feita no Japão, mas sim por um artista britânico chamado Bob Wakelin, que já havia vendido a obra original para outro colecionador.

Quando Wakelin faleceu no início deste ano, Dan começou a postar em fóruns de colecionadores que estava disposto a pagar US$ 100 mil pela arte original do jogo.

Não é necessariamente sobre isso ser a peça suprema para mim“, diz Dan sobre a capa de Contra. “É apenas uma em que eu sei, de fato, que em algum momento e em algum lugar alguém a possui. A menos que essa pessoa que comprou tenha jogado fora, tenho todas as razões para acreditar que ainda existe em algum lugar“.

Se por um acaso você tiver essa arte jogada num canto da sua casa, saiba que ela está valendo um bom preço!