Share Button

Final Fantasy VI“, lançado para Super Nintendo em 1994 (com o nome de “Final Fantasy III” nos EUA) é considerado por muitos fãs como o melhor game da franquia até hoje – o game inclusive foi relançado especialmente para dispositivos Android e iOS no início de 2014. Na época do seu lançamento, o jogo se destacou pela história épica em um universo steampunk apocalíptico, pelos seus vários personagens (14 no total) e pelo sistema de personalização a partir de magicites.

Cultuado até os dias de hoje, muitos torcem por um remake nos videogames modernos, ou até mesmo uma continuação. E se uma sequência oficial pode ser um sonho distante, ao menos temos os projetos não-oficiais, feitos por fãs, como é o caso do brasileiro “Final Fantasy VI: Renascimento e Revolução“, que possui em sua história pitadas de outro RPG clássico, “Chrono Trigger“.

Tendo como principal designer o paulista Marcelo Silva Nascimento Mancini, o jogo foi criado utilizando a ferramenta RPG Maker, e é uma sequência de “Final Fantasy VI” em construção desde 2011, com uma história que tem como protagonista Leo Cristophe, que ajuda os heróis no jogo original mas é morto traiçoeiramente pelo vilão Kefka.

Em “Final Fantasy VI: Renascimento e Revolução“, Leo é ressuscitado por Maguspersonagem de “Chrono Trigger”, que ainda está em busca de sua irmã desaparecida Schala. Magus viaja para o futuro e outra dimensão, e é assim que acaba no meio do universo de “Final Fantasy VI“, e decide reviver no amigo General Leo para ajudá-lo em sua jornada, o pontapé inicial da narrativa.

Segundo Mancini, a decisão de continuar a história de “Final Fantasy VI” foi por que o seu final “não havia sido completamente bom“, como o desaparecimento da magia, a má utilização do Ultima Weapon (um dos chefes mais fáceis do jogo) e a morte injusta de Leo nas mãos de Kefka. E o enorme elenco de FFVI, como é que fica? Mancini explica que “quase todos os personagens do FFVI aparecem, mas eles não terão uma relação direta com a história, e serão os descendentes“.

Sobre o crossover com o universo de “Chrono Trigger“, ele diz que “Magus é o melhor personagem possível para reviver Leo, e eles meio que trocam favores. Leo sabe do poder de Magus e sabe que com a ajuda dele pode chegar até o Ultima Weapon. Magus também percebeu uma coisa estranha no mundo de Leo, ele sentiu a magia voltando a este mundo, e como era uma magia que estava surgindo e não simplesmente existia, ele quis investigar“.

O projeto ainda não tem previsão de quando será concluído, mas uma versão demo deve ser lançada dentro de um mês, segundo o seu criador, por isso fiquem ligados aqui na Gamehall para saber mais detalhes futuramente!

Confira abaixo um vídeo do jogo e mais algumas imagens: