Share Button

Star Trek: Sem Fronteiras” é o terceiro filme do reboot da franquia Jornada nas Estrelas, após os excelentes “Star Trek” (2009) e “Star Trek: Além da Escuridão”, ambos dirigidos por J.J. Abrams, que está de volta como produtor neste terceiro episódio, passando o cargo de diretor para Justin Lin (da franquia Velozes e Furiosos).

E será que o novo diretor conseguiu manter a qualidade dos filmes anteriores? Meu caro leitor trekker, eu sendo fã desse franquia há muitos anos, posso te garantir para pegar o seu dinheiro e ir correndo assistir a esse filme, seja você um fã das antigas, com a turma de William Shatner e Leonard Nimoy (aliás, temos uma bela homenagem a Nimoy e ao elenco original durante o filme), ou seja você da “Nova Geração” (olha o easter egg aí), com Chris Pine e Zachary Quinto.

startrek2

Em pleno ano que a franquia Star Trek comemora 50 anos de existência, os fãs são brindados com um filme envolvente, divertido e o mais importante, com o “espírito” da série original, mas com uma história completamente inédita – diferente dos dois filmes anteriores. Parabéns aos roteiristas estreante Doug Jung e Simon Pegg (que também atua como o Scotty), que conseguiram apresentar um universo rico de referências e ao mesmo tempo com vida própria – se você não assistiu aos antecessores, não se preocupe que “Sem Fronteiras” consegue se sustentar de maneira independente.

Sem revelar muito da narrativa, a tripulação da Enterprise está no meio de sua missão de cinco anos pelo espaço quando é atacada por uma poderosa espécie alienígena desconhecida, forçando o abandono da nave em um planeta também desconhecido de uma região distante da galáxia. Enquanto procuram uma maneira de voltar para a Federação, eles devem impedir os planos do maligno Krall (Idris Elba, completamente irreconhecível).

jaylah

Após duas produções, todos os atores estão bem confortáveis em seus personagens, podemos sentir que eles estão se divertindo ali na tela. Agora sem se preocupar em explorar a fundo a personalidade de cada um, o filme nos mostra as interações e relações entre eles e seus conflitos internos, fórmula essa que era bastante explorada na série dos anos 60 (e nas sucessoras). Destaque para as provocações de Spock (Zachary Quinto) e Magro (Karl Urban), como nos bons e velhos tempos. A estreante Sofia Boutella dá um reforço no elenco feminino, interpretando a bela alienígena Jaylah (imagem acima, nome inspirado no de Jennifer Lawrence, segundo revelaram os roteiristas), que oferece uma boa dinâmica com os personagens clássicos.

Aliados a isso coloque um espírito despretensioso, bons efeitos especiais, cenas de ação empolgantes, uma música do Beastie Boys muito bem inserida no contexto da narrativa e temos uma produção que pode não ser revolucionária, mas que vai prender e entreter o espectador do seu início ao fim. Um filme mais do que recomendado para os fãs ou para você que gosta de uma boa aventura scifi.

Nota: 8

startrek3