Share Button

Glória ao Sol pelo lançamento de Dark Souls Remastered no Nintendo Switch! Anunciada no início de 2018 para Switch, PlayStation 4, Xbox One e PC, a remasterização do clássico chega ao híbrido da Nintendo somente em outubro, cinco meses após seu lançamento para as outras plataformas.

Com melhorias no desempenho, mudanças na iluminação, maior resolução e novidades no modo online, Dark Souls Remastered era a desculpa perfeita para os veteranos retornarem ao mundo de Lordran e para os novatos descobrirem o verdadeiro significado da palavra ‘sofrimento’. Mas será que o Switch conseguiu manter todos os upgrades recebidos nas outras versões? Coloque sua armadura, encha os Frascos de Estus e vamos descobrir!

Velho conhecido

Dark Souls Remastered para Switch tem como base os consoles da geração passada, mais precisamente a versão de Xbox 360, que tem melhor desempenho. Sendo assim, as melhorias vistas nos consoles atuais não estão presentes, como resolução 4K, texturas de alta qualidade, gameplay em 60 quadros por segundo constantes e os novos efeitos de iluminação. Mas não se preocupe, pois o jogo recebeu um tratamento especial que deixa a experiência muito mais fluida que no original!

Com resolução dinâmica no modo TV, o jogo roda a maioria do tempo em 1080p (1920×1080), mas pode cair para 1600×900 em áreas que exigem mais do hardware. No modo portátil, a resolução fica travada em 720p (1280×720). A taxa de frames é fixa em 30 fps, tanto no modo TV como no portátil, com raríssimas quedas, mesmo em Blighttown, famosa por devorar frames no PS3 e 360. Como comparação, essas versões rodavam a 1024×720, e a taxa de frames no PS3 chegava a cair drasticamente até 10 fps, prejudicando muito a experiência.

Apesar de tecnicamente não ser a versão mais completa, o desempenho acima da média e o ganho na resolução fazem muita diferença no visual, principalmente no modo portátil, onde o tamanho da tela ressalta a qualidade.

Já o brilho da tela do Switch deixa um pouco a desejar, e piora quando se joga durante o dia. Mesmo alterando as opções no menu e colocando o brilho no máximo, algumas áreas do jogo continuam muito mais escuras do que em outros consoles. Jogar durante a noite ou no modo TV amenizam esse problema, mas ainda assim preferi deixar o brilho máximo como padrão.

O remaster também herdou a parte sonora da versão de Xbox 360, mas os sons parecem abafados, com mais compressão que no game original. Recomendamos o uso de um fone de ouvido no modo portátil ou um home theater caso jogue na TV pra entrar 100% no clima proposto pelo game.

Acostume-se

Um dos segredos para sobreviver em Dark Souls é a movimentação rápida e precisa, e nesse quesito os Joy-Cons do Switch vão exigir um pouco de treino.

Antes de tudo, é preciso avisar que os botões “A” e “B” foram trocados nessa versão, sendo que o botão “A” confirma e o botão “B” cancela, padrão de jogos da Nintendo. Tive que investir um tempinho até acostumar com os novos controles pois estava habituado com a jogabilidade em outros consoles.

Os combates em Dark Souls pedem o uso intenso dos gatilhos “L” e “R” para atacar e defender, e nos Joy-Cons eles são pequenos e muito sensíveis, podendo atrapalhar durante as batalhas. Em modo portátil a chance de errar é menor, mas o uso de um ‘Pro Controller’ é recomendado pra quem vai jogar na TV. Novamente, é uma questão de costume, então quanto mais você jogar, mais craque vai ficar nos controles do Switch!

Vale destacar que Dark Souls foi o segundo jogo que me fez desligar a vibração dos controles, depois de “Fast RMX”. O uso do “Rumble HD” – tecnologia de vibração exclusiva do Switch – é tão intenso que ao encaixar um acerto crítico em um inimigo, o console treme inteiro e dá pra ouvir um estridente som metálico saindo dos Joy-Cons.

Nós vamos invadir o seu mundo!

Destaque da remasterização, o modo online agora permite de 1 a 6 jogadores simultaneamente no mesmo mundo: você, três amigos e dois invasores, e isso permanece na versão Switch.

Seja para ajudar a vencer algum chefe, ‘farmar’ almas ou se divertir derrotando invasores ou invadindo mundos, a experiência online de Dark Souls nunca foi tão boa como no Switch. Não tive problemas de conexão durante as partidas online e foi bem fácil ‘summonar’ alguém ou invadir outras salas. Só tome cuidado ao colocar o seu console em modo de descanso, pois o jogo conta isso como desconexão.

Falando em modo descanso, devido à portabilidade do console é possível pausar o jogo ao apertar o botão “Home” no Switch. Isso facilita bastante a vida de quem quer jogar partidas rápidas em qualquer lugar sem se preocupar em morrer dentro do game.

Para jogar Dark Souls online é preciso assinar o serviço “Nintendo Switch Online”, seja para deixar mensagens no chão para outros jogadores, chamar amigos ou participar de partidas PVP. O serviço está disponível através do link https://www.nintendo.com/pt_BR/switch/online-service, com opções de assinatura para 1, 3 ou 12 meses.

Praise The Sun!

Simultaneamente ao lançamento do game, a Nintendo disponibilizou o amiibo exclusivo “Solaire of Astora”, que libera o gesto “Praise The Sun!” automaticamente. 

Uma cópia do jogo foi fornecida pela Bandai Namco para elaboração desta análise