Share Button

Caçado pelo paraíso, odiado pelo inferno 

É isso aí pessoal, 2009 ficou para trás deixando para a história dos games grandes títulos para serem apreciados e jogados exaustivamente. Quem nos acompanha pode conferir nossas análises de jogos como Resident Evil 5, Muramasa, Dead Space: Extraction, Uncharted 2, Brutal Legend, Tekken 6, Dragon Age: Origins, Assassin’s Creed 2, New Super Mario Bros. Wii, Modern Warfare 2 e Silent Hill: Shattered Memories, entre vários outros títulos (só fuçar aí no site que você encontra esses e muitos outros).

Agora, como primeiras análises de 2010, tive a sorte de começar muito bem, colocando as mãos no games Bayonetta e agora Darksiders: Wrath of War, produzido pela Vigil Games (nota para os fãs de quadrinhos: a Vigil Games foi fundada por Joe Madureira, famoso desenhista de quadrinhos mais reconhecido pelo seu trabalho em X-Men), para PlayStation 3 e Xbox 360.

Nunca ouviu falar do jogo? Não se preocupe, garantimos que ele é bem “bacanudo“, saca só uma pequena demonstração do que te aguarda: Darksiders é ambientado em um futuro próximo e mostra o fim do mundo, o Apocalipse (não o dos X-Men, o da Bíblia), a destruição da Terra e da humanidade pelos demônios e forças do mal. Curtiu não é? Então continue conosco nessa análise apocalípitica que promete fazer frente a jogos como God of War III e Bayonetta, outros aguardados títulos para 2010.

Você é fã do Joe Madureira e está afim de um PlayStation 3 Slim? Dá só uma olhada nessa belezinha aí em cima, um Slim branco personalizado com o desenho de War, assinado pelo Madureira. Lindão não é?

O começo do fim

No jogo você assume o papel do destruidor e violento War (Guerra), um dos quatro lendários Cavaleiros do Apocalipse. A introdução mostra uma metrópole sendo atingida por grandes meteoros. Demônios horrendos e criaturas estranhas surgem, cenas de batalhas sangrentas são levadas às ruas e logo o caos toma conta da nação. O Céu e o Inferno estão em guerra,e um terceiro grupo está participando, a Humanidade.

War é acusado, por um conselho de equilíbrio entre o bem e o mal, de ter começado um falso Apocalipse e condena o cavaleiro à morte. War chega a um acordo com o conselho, com o objetivo de descobrir quem está por trás disso e o acusou. Assim, War consegue uma liberdade condicional para sair em busca da verdade e terá que lutar contra anjos e demônios e encontrar os outros Cavaleiros do Apocalipse, infelizmente ele não conta com todos os seus poderes, que foram drenados pelo conselho.

Sem poderes e em busca de vingança de quem o traiu, War possui um cavalo demoníaco  com cascos em chamas, chamado Ruína, e uma gigantesca espada para trucidar o que aparecer pela frente. O cavaleiro volta, 100 anos depois da grande batalha entre céu e inferno, e encontra uma Terra devastada  e caótica onde há muito tempo os humanos se foram.

Personagens

War (Guerra): O protagonista do game. Ele é um dos quatro cavaleiros do Apocalipse e foi acusado de ter começado a batalha antes do seu tempo, como punição grande parte do seu poder foi retirado e ele deve andar na Terra desolada para sempre. Ele parte em uma jornada para descobrir quem está por trás disso e limpar o seu nome. War é um anti-herói que usa uma poderosa espada chamada “Chaoseater”.

Ruin (Ruína): É o fiel companheiro de War, um cavalo demoníaco assustador nem um pouco amigável. Ele pode ser usado por War para andar no mundo aberto de Darksiders, não está disponível no começo do jogo.

The Destroyer: A besta, o capetão, o coisa ruim, o cão chupando manga que comanda o inferno e que controla as tropas demoníacas que invadiram a Terra. Está protegido em sua torre vigiada por quatro poderosos guardiões.

The Charred Council: Um grupo de mediadores entre o Céu e o Inferno, que culparam War pelo Apocalipse prematuro e o baniram, sem poderes, para a Terra.

Samael: Um anjo decaído e corrupto, que também rejeitou as regras do Inferno e foi condenado à prisão eterna. No game, War deve libertá-lo e fazer um pacto com ele.

Abaddon: É retratado como um anjo, liderando as forças do Céu contra o Inferno quando o Apocalipse começou, mas foi morto. Desde então os anjos guerreiros saíram do Céu e voam os céus do mundo destruído atacando demônios (e War) em busca de vingança.

The Watcher: É uma espécie de guia da guerra. O conselho não confia em War então eles instruiram The Watcher, um sarcástcio demônio para seguir e vigiar War durante sua jornada. Para alegria dos nerds e fãs de scifi, o personagem é dublado por Mark Hamill, o eterno Luke Skywalker de Star Wars, que recentemente dublou o Coringa em Batman: Arkham Asylum.

Death (Morte): A Morte é outro dos cavaleiros do Apocalipe. Ele (ou ela?) empunha uma foice chamada “The Harvester”, usa um manto negro e possui um corpo esquelético. Ele também é conhecido como “The Grim Reaper” e seu paradeiro é desconhecido.

Strife: outro dos caveleiros do Apocalipse, que substituiu o tradicional Conquista. Sua técnica usa duas grandes pistolas. Seu paradeiro é desconhecido.

Fury: o quarto cavaleiro, ou melhor, amazona do Apocalipse, substituindo a Fome. Ela usa como arma um chicote de fogo. Seu paradeiro também é desconhecido.

Silitha: Uma terrível aranha-demônio que tece sua teia em uma parte da cidade destruída.

Tiamat: Um demônio gigante que lembra um dragão-morcego e permanece em uma área conhecida como Twilight Cathedral. Tiamat é uma deusa do caos, da raiva e do mar na mitologia babilônica, um povo que escravizou os antigos hebreus que escreveram a Bíblia. O termo hebraico para o grande dilúvio descrito no Antigo Testamento vem da palavra Tiamat. War deve lutar contra ela como um dos chefes do game.

The Jailer: É um monstro gigantesco composto por vários corpos diferentes e atua como um dos chefes.

The Griever: É um demônio feminino que habita o sistema de metrô destruído da cidade. Seus “bichinhos de estimação”, enxames de gafanhotos demoníacos, também fizeram dos metrôs o seu covil.

Ulthane: é um dos “antigos”, como War e o Conselho, mais velho que o Céu e o Inferno, um grande artesão de armas lendárias e armaduras.

Uriel: Um Arcanjo que atualmente está conduzindo o resto das forças do Céu na Terra destruída.

Vulgrim: Um demônio conivente que inescrupulosamente fornece à War vários upgrades, em troca de almas que War coleta durante suas batalhas.

O Inferno comando o caos na Terra

A mecânica do game é bem simples e típica dos jogos do gênero, como por exemplo Brutal Legend. O jogo tem visão em terceira pessoa em um mundo aberto com diversas áreas para explorar, itens para colecionar, upgrades e vários monstrengos  e criaturas pelo caminho. A jogabilidade consiste principalmente em ter um bom senso de direção, pegar e arremessar ou empurrar objetos dos cenários, escalar demônios gigantes (até voar neles no melhor estilo Panzer Dragoon) e cortar, devastar, trucidar as cabeças dos monstros que apareçam em sua frente.

Além da ação desenfreada há vários puzzles pelo caminho e trechos que precisarão ser abertos de maneiras específicas. Nada muito desafiador ou complicado, mas que adiciona um elemento de estratégia ao game. A medida em que você for avançando no game, irá ganhar algumas habilidades especiais, como as asas Shadowflight para planar, a  Abyssal Chain, uma espécie de chicote, Chronospheres que permite War parar o tempo e os Voidwalker, que permite War a abrir, fechar e passar por portais – que será muito usada nos labirintos mais difíceis. Os cenários estão muito bem feitos, com várias ruínas, cidades devastadas e fortalezas recheadas de armadilhas, plataformas,  salas escondidas, elevadores, pisos falsos entre outras coisas.

O sistema de combate é um dos pontos fortes de Darksiders e há várias maneiras de retalhar os bichos, com uma gama impressionante de ataques, seja com a sua espada bastarda, com armas secundárias ou ainda ataques combos que serão destravados ou comprados na sinistra loja de horrores do demônio Vulgrim. Você também pode ganhar ataques Wrath, como espetos do chão e facas giratórias e ainda equipar modificadores  e upgrades em suas armas principais. Além disso você pode usar armas de projéteis, como um canhão “angelical” e um lançador de granadas demoníaco.

E nas lutas você ainda pode optar por um finish move ultraviolento, para acabar de vez com o inimigo, em um espetáculo visual. Essas finalizações são sangrentas e sensacionais, como arrancar as asas de um anjo para depois empala-lo com sua gigantesca espada – realmente é muito gratificante. Esmague os crânios de demônios com as mãos, arranque as tripas fora, corte cabeças, seja mau e impiedoso e ensine a esses demônios uma lição que nunca irão esquecer. No entanto, nenhuma cena é realmente muito forte, pois o jogo tem um visual de desenho, que lembra muito histórias em quadrinhos, afinal, Joe Madureira foi o diretor criativo do game.

Isso nos leva aos gráficos e visuais do game. O jogo todo é bastante colorido e animado, e certamente os fãs do trabalho de Joe Madureira nos quadrinhos, irá reconhecer o seu estilo no game. Toda a estética, visual e design são envolventes, e Madureira e sua equipe estão de parabéns.

O design do protagonista está muito bem detalhado, com um boa movimentação, combos exóticos e finalizações que por vezes podem até parecer uma coreografia de dança. Além dele todos os demônios e anjos estão muito bem caracterizados e ficam muito bem na tela, especialmente os chefes de fases. Para completar, temos cenários com boas texturas e arquiteturas, a medida em que você anda pelo cenário, os seus olhos anseiam para ver o que virá a seguir. Além disso  o game ainda apresenta várias cutscenes que ajudam no desenrolar da narrativa e deixam o jogo ainda mais envolvente.

A trilha sonora é bem bacana, mas o destaque mesmo fica para o show de dublagens, que está numa qualidade impecável. A voz de War é a típica voz do herói “sou poderoso”, mas é bem articulada e executada. Já as vozes dos anjos e demônios, são todas bem feitas, inspiradas e com emoção, que combinam com os seus respectivos personagens. Mark “Luke Skywalker” Hamill fez outro excelente trabalho de dublagem com o seu personagem The Watcher (sempre que eu vejo ele, me lembro do Demônio das Sombras do desenho Caverna do Dragão), com uma voz rouca e travessa.

“Quando o Cordeiro abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizer: “Venha! ”
Então saiu outro cavalo; e este era vermelho. Seu cavaleiro recebeu poder para tirar a paz da terra e fazer que os homens se matassem uns aos outros. E lhe foi dada uma grande espada. Apocalipse 6:3-4“. – Revelation