Share Button

Ontem a Netflix divulgou o primeiro trailer da sua adaptação ocidental e live-action do popular anime/mangá “Death Note“, que dividiu a opinião dos fãs na internet – enquanto alguns gostaram do que viram, outros reclamaram que ficou muito diferente do original.

Em recente entrevista ao IGN, o diretor Adam Wingard comentou sobre a produção ocidental:

Nos estágios iniciais do filme, eu estava relendo todo o mangá, realmente apenas olhando como isso poderia ser transferido para os Estados Unidos. Death Note é uma coisa japonesa. Você não pode simplesmente dizer que vamos portar isso e pronto. São dois mundos completamente diferentes“, começou a explicar sobre as diferenças do filme com o material original.

É uma daquelas coisas em que, quanto mais eu tentei ficar 100% fiel ao material de origem, mais simplesmente se desfez … Você está em um país diferente, em um ambiente diferente e está tentando resumir uma série extensa em um filme de duas horas de duração. Para mim, tornou-se sobre o que esses temas significam para a América moderna, e como isso afeta a forma como contamos a história. Em última análise, a perseguição do gato e rato entre Light e L, os temas do bem, do mal e do que está entre a área cinzenta. Essas são as coisas fundamentais de Death Note, e é exatamente nessa direção que fomos“, continuou.

Wingard também falou sobre as diferenças entre os personagens japoneses e americanos – no Japão o protagonista se chama Light Yagami, enquanto no filme é Light Turner, e são pessoas diferentes.

No seu núcleo, está pegando os temas de quem são os personagens, mas explorando-os em um novo contexto. As personalidades dos personagens são um pouco diferentes … L não é o mesmo. Há muitas semelhanças – ele gosta de doces, às vezes ele brinca com seus sapatos. Esses tipos de coisas, mas no final do dia, a conquista de L e a escalada de seu personagem são muito diferentes“, comentou.

Ele ainda é um tipo estranho. É o mesmo para quase todos os personagens no filme. Provavelmente, o único personagem que aparece da mesma maneira como no anime é Ryuk“.

No material original, Light é o típico “bom adolescente” e filho perfeito, que ao longo da história se transforma em um assassino em série que decidiu que podia julgar por si só os crimes.

Quanto a L, ele é apresentado como um detetive extremamente inteligente, excêntrico e com uma aparência de quem nunca dorme, que gosta de trabalhar nas sombras e prefere jogos mentais a confrontos.

O trailer do filme mostra claramente algumas mudanças que Light e L sofreram. Entre as reclamações, estão o jeito grosseirão do protagonista e seus cabelos gordurosos, que contradizem a imagem de garoto educado e de boa aparência do anime/mangá. Já L o que incomodou os fãs foi a sua exposição em público e sua aparência que não lembra um “detetive que não dorme”.

Apesar das reclamações, muita gente gostou e está ansiosa pelo filme, que tem estreia marcada para o dia 25 de agosto na Netflix.

Abaixo você confere o trailer: