Opinião

Death Note não fará seu filho violento | Opinião

Pode ficar tranquilo

Recentemente, uma polêmica foi reacendida após a Rede Record veicular uma matéria no programa “Domingo Espetacular” associando comportamento violento ao fato de um jovem assistir um anime como Death Note. Para quem não assistiu, o protagonista tem um “Caderno da Morte” e, quem ele quer que morra, ele escreve o nome.

Como já escrevi em um artigo anterior aqui na GameHall, há vários estudos ao redor do mundo feito por profissionais das mais diferentes áreas que concluem que não existe essa correlação entre produção audiovisual e a violência das pessoas. É leviano e irresponsável culpar os games, ou no caso o anime, perante a violência.

O próprio Death Note tem classificação indicativa para maiores de 18 anos, então se o seu filho de 12 assiste, é porque você não está preocupado com ele, ou você tem confiança de que ele pode assistir a um desenho do gênero. O comportamento disfuncional infanto-juvenil se dá por famílias disfuncionais, desigualdade social, bullying na escola, pais ausentes ou negligentes e diversos outros fatores que são realmente problemáticos.

Culpar produções audiovisuais é tirar o foco do real problema e uma tentativa de responsabilizar o “mundo externo” por um desvio comportamental que é exclusivamente do indivíduo, que derivado do ambiente que o cerca.

Além disso, o Death Note tem uma história que provoca no espectador o questionamento sobre qual o verdadeiro “sentido de justiça”, já que o portador começa a matar todos os “bandidos perigosos”, só que nem sempre isso é justo, já que há muitas vezes falhas no próprio sistema judiciário e, o que parece muito óbvio, no médio prazo se prova o contrário. Às vezes, a pessoa cometeu um crime perante uma circunstância muito injusta. Abre um bom precedente para entender o conceito de “bandido bom é bandido morto” que é tão comum em nossa sociedade hoje em dia

Fora que crianças e adolescentes têm direito a arte e não devem ter sua inteligência subestimada. Death Note tem cenas de violência, mas também não é nada “gratuito”, funcionando para sustentar uma história muito bem elaborada. É justo que os pais se preocupem com o que o filho deve assistir e nem todo conteúdo é para crianças mesmo, mas aí eles devem ficar atentos a classificação etária. No entanto, posso garantir que seu filho não vai ficar mais violento por assistir o Death Note.

Artigos relacionados