GamesNotícias

Desenvolvedor consegue adicionar suporte para Ray Tracing no Super Nintendo

Share Button

Um desenvolvedor chamado Ben Carter, que trabalhou na série FIFA e no remake de Star Fox 64 para 3DS, criou algo que até então ninguém pensaria ser possível: suporte para Ray Tracing no SNES.

O projeto para isso, chamado de SuperRT, é baseado no chip externo Super FX utilizado em alguns cartuchos de SNES, como Star Fox, para permitir que o sistema renderize gráficos poligonais em baixa resolução. Com o SuperRT, o objetivo é fazer o mesmo, mas com Ray Tracing.

Para conseguir realizar este objetivo, Carter pegou um jogo de Super Nintendo, substituiu a ROM dele com uma feita por ele próprio e conectou o cartucho inteiro a uma placa DE10 FPGA (um circuito integrado projetado para ser configurado pelo comprador) rodando um software customizado. Depois disso, tudo que ele precisou fazer foi colocar o cartucho em um Super Nintendo e pronto. Agora ele possui um console 16-bits com uma forma primitiva de Ray Tracing, além de um jogo com câmera em primeira pessoa para demonstrar isso.

“O que eu queria tentar e fazer era algo similar ao chip Super FX usado em títulos como Star Fox, onde o SNES executa a lógica do jogo e fornece uma descrição da cena para um chip dentro do cartucho para gerar os visuais,” disse Carter em uma postagem no blog sobre o projeto, onde ele também explica que para melhor simular um chip externo do SNES, ele propositalmente não utilizou todo o potencial de sua placa FPGA. “Para esse fim, tentei deliberadamente me restringir a apenas usar um único chip personalizado para o design, não fazendo uso do núcleo ARM disponível na placa DE10 ou quaisquer outros recursos de processamento externo.”

O resultado final é uma demo que parece uma espécie de Star Fox com visuais mais realistas. Embora os objetos no jogo de Carter tenham visual retrô, a iluminação, sombras e reflexos são bastante similares a algo que veríamos em um jogo atual com Ray Tracing.

Lembrando que tudo isso está rodando em um Super Nintendo, com a placa FPGA de Carter agindo apenas para gerar imagens. Isso nos faz imaginar como teria sido naquela época se essa placa coubesse dentro do cartucho do console.

Via Tom’s Hardware

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo