Share Button

Após a triste notícia do fechamento da Visceral Games, o estúdio responsável por Dead Space, um ex-funcionário que hoje trabalha na Bethesda resolveu revelar o orçamento do segundo game da série e também quantas cópias ele vendeu.

O designer de nível, Zach Wilson, disse no Twitter que Dead Space 2 custou US$ 60 milhões para ser produzido e vendeu 4 milhões de cópias. Ele adicionou que a EA foi “implacável” com o orçamento para o game, sugerindo que poderia ter sido maior.

O jogo não vendeu pouco, mas por causa dos gastos de marketing relatados por Wilson, também na ordem de US$ 60 milhões, e as quantias monetárias que a Microsoft, Sony e lojistas pegaram com as vendas, Dead Space 2 acabou não tendo o desempenho comercial esperado, segundo informou o designer. Apesar disso, Dead Space 3 foi feito, mas também vendeu abaixo do que a EA esperava, segundo a própria empresa confirmou em 2013.

É bastante incomum vermos números de orçamentos para produção e marketing dos jogos, então embora os comentários de Wilson não estejam confirmados oficialmente, são muito interessantes.

Ele também comentou acreditar que o primeiro Dead Space custou US$ 37 milhões para ser desenvolvido e que a Electronic Arts ganha US$ 30 por cópia de jogo vendida (no lançamento com preço cheio) depois que as fabricantes de console e lojistas pegam suas respectivas partes do dinheiro. Adicionalmente ele disse que através do Origin a EA fica com 90% do valor do game por venda, enquanto que no Steam, ele acredita que ser 70%.

Outro designer que trabalhou na Visceral Games também se manifestou após o fechamento do estúdio, dizendo que foram “derrotados por forças além do nosso controle”.

Ainda é difícil de acreditar que a EA decidiu fechar o estúdio que nos deu uma das melhores franquias da geração passada e que estava trabalhando em um jogo de Star Wars que contava com o envolvimento da veterana da indústria Amy Hennig, que trabalhou nos jogos da série Uncharted e também nos clássicos Blood Omen: Legacy of KainSoul Reaver.

Via NeoGAF e GameSpot