Share Button

O site Waypoint publicou um artigo e tanto a respeito da história do desenvolvimento de Halo, contendo uma série de curiosidades a respeito da série, muitas delas reveladas apenas agora pelo próprio pessoal que trabalhou no game.

Trata-se de uma leitura obrigatória para qualquer fã da série, de modo que essa é a única maneira de captar todos os detalhes.

Uma das curiosidades mais fascinantes informadas no texto é que a Microsoft aparentemente “odiava” o nome Halo.

“Eles disseram que isso não significa nada e para as pessoas isso tinha de dizer algo, que não batia com a marca, porque o que estamos vendendo é um super soldado, não esse porcaria espacial estranha,” disse o designer dos controles em primeira pessoa, Jaime Griesemer. “Em cada idioma estrangeiro isso soa estúpido, é feminino, eles tinham muitas razões para explicar porque o nome deveria ser mudado. Isso durou meses e meses, e eles voltaram com um monte de nomes.”

“Em algum momento eles disseram, ‘Ok, vamos inserir um subtítulo.’ E isso foi antes dos subtítulos serem uma tendência nos jogos,” disse Griesner. “Achamos que era algo bobo, mas quer saber, podíamos ignorar isso. Eventualmente eles voltaram com Combat Evolved e nós achamos a coisa mais estúpida. Não significa nada, não é realmente informativo e nem mesmo possui uma boa gramática.”

Também é dito no texto que o primeiro Halo quase teve seu multiplayer removido, algo quase impensável nos dias de hoje.

“Multiplayer também estava meio que ruim até pouco antes do jogo ser enviado às lojas,” disse Griesmer. “Você apenas atiraria num cara eternamente e ele não morreria.”

O ex-designer da Bungie, Paul Bertone, adicionou, “Multiplayer é na verdade algo que estava com a corda no pescoço até muito perto do final do projeto, o que teria sido uma grande tragédia”.

Outra curiosidade muito interessante foi dita por Ed Fries, ex-chefe do Xbox, onde a Bungie foi colocada numa situação delicada envolvendo Halo 2.

“Eu lembro de estar numa reunião sobre Halo 2, e a realidade é que precisávamos adiá-lo em um ano para entregar o jogo que queríamos,” disse Fries. “As escolhas eram forçar a Bungie a enviar Halo 2 antes de estar pronto ou dar-lhe um ano a mais para fazê-lo direito.”

“Todos os membros sênior que trabalhavam para Robbie Bach (ex-chefe do departamento do Xbox) votaram para que a equipe enviasse o jogo,” adicionou. “Eu saí da reunião dizendo: ‘Vou me demitir agora mesmo se é isso que eles vão fazer.’ Então eles voltaram atrás e deram à Bungie o tempo extra, mas eu ainda me demiti seis meses depois. Aquela votação mostrou o tipo de atitude que estava acontecendo por lá.”

Repito, se você é fã de Halo, separe um tempo no seu dia e leia o texto por completo.

Via GameSpot