Share Button

Sou fã de Dissidia desde os jogos de PSP, que me fascinavam pois apesar de serem jogos de luta, possuem aspectos em seu modo história que lhe davam a cara de um RPG. Então, quando vi que sairia um novo título da série para PS4, fiquei animado pois isso representava uma oportunidade de ouro para que a Square Enix pudesse exaltar a franquia com algo verdadeiramente especial.

Meu primeiro contato com Dissidia Final Fantasy NT foi em agosto do ano passado jogando o beta fechado. Fui fisgado quase que de imediato com seu novo sistema de combates de três contra três. Passei muitas horas lutando online tanto nesse beta quanto no que ocorreu pouco tempo antes do jogo ser lançado. Agora, depois de gastar um bom tempo com o produto final, o que sinto pelo jogo é uma mistura de satisfação com desapontamento.

Vamos por partes. Fiquei muito contente com a maioria dos personagens que foram colocados à disposição, mas achei que alguns nomes estão fazendo falta, como Tifa (FF VII), Gabranth (FF XII), Yuna (FF X), Sabin (FF VI) e Ardyn (FF XV). Apesar disso, ainda existem muitos personagens memoráveis para serem selecionados, juntamente com alguns menos conhecidos que poderiam até mesmo ter dado lugar para um destes que citei acima.

Graficamente o jogo é muito competente, especialmente no design dos personagens e dos cenários. O desempenho é impecável, rodando em 60 fps constantes na hora das lutas. A interface, no entanto, parece algo feito às pressas e contribui mais em atrapalhar o jogador do que auxiliá-lo. Você acaba tendo que desviar sua atenção de algo importante se quiser conferir detalhes como a vida de seus companheiros pois a posição onde isso foi colocado na tela não ficou adequada.

A trilha sonora é um dos pontos mais fortes de Dissidia Final Fantasy NT, pois ela é composta por músicas famosas de todos os jogos da franquia Final Fantasy, em versões arranjadas e originais. Você pode inclusive personalizar a lista de seleção para que toque apenas aquelas que você quiser ouvir.

A jogabilidade é ótima, porém sua complexidade pode afastar alguns jogadores. Embora exista um tutorial que sirva para lhe ensinar os fundamentos básicos dos controles, ele falha em explicar aspectos essenciais como, por exemplo, apresentar claramente como efetuar os golpes especiais de cada lutador.

Há quatro classes distintas de personagens: Vanguard, com ênfase no dano corpo a corpo; Assassin, que possui ataques rápidos; Marksman, que faz uso de magias e ataques à distância; e Specialist, que difere um pouco das outras três por possuir características especiais, sendo a mais difícil de dominar.

Em Dissidia Final Fantasy NT os movimentos consistem em ataques de Bravery e HP. Todos os personagens começam com 1000 de Bravery e sempre que causam dano desse tipo no oponente, o Bravery sobe. O ataque HP utiliza o valor obtido com Bravery para causar dano na vida do adversário. Ao acertar um golpe desse tipo, seu Bravery volta ao valor inicial de 1000 e o adversário atingido perde vida equivalente ao Bravery que você tinha quando acertou o golpe de HP. Zerando a vida do oponente, você o deixará incapacitado por alguns segundos. O objetivo é incapacitar os jogadores da outra equipe três vezes usando essa mistura de ataques para obter a vitória. Você conta também com a ajuda de Summons que podem ser chamados pela equipe depois que você reunir uma certa quantidade de energia obtida lutando e também quebrando cristais que aparecem no cenário.

O multiplayer online é o lugar onde certamente a maioria dos jogadores que gostaram do game vai passar a maior parte do tempo e com razão pois, falando francamente, foi o único local do jogo onde eu realmente me diverti. Não tive dificuldade para encontrar partidas e a maioria delas transcorreu sem problemas de conexão. Conseguir derrotar adversários reais no online de Dissidia traz uma sensação muito boa. O único aspecto que pesa contra no multiplayer é que por serem três jogadores contra três, haverá ocasiões onde você perderá a partida não por ter jogado mal, mas sim porque seus dois companheiros não conseguiram dar conta da situação.

Diferentemente do online, os aspectos offline de Dissidia Final Fantasy NT deixam muito a desejar. Isso fica ainda mais acentuado quando você se vê obrigado a farmar Memorias para avançar no modo história.

Há muitos jogadores que detestam jogar online e querem apenas desfrutar de um bom modo história. Aqui temos um caso onde o jogo não quer que você jogue a história, ou pelo menos não quer que você a veja sem experimentar o restante do conteúdo que o game possui. Para destravar as cutscenes e batalhas da história, você precisa ganhar Memoria. Você começa o jogo com apenas uma, que pode ser usada para liberar uma única cutscene. Depois disso, o modo história fica inacessível e para você continuar jogando ele, precisará de mais Memoria. Como obtê-la? Farmando-a no Gauntlet Mode, que é essencialmente o modo arcade do game composto de lutas contínuas tradicionais e também de lutas onde você deve destruir o cristal da equipe adversária para vencer. Se estiver confiante, pode farmar também jogando partidas online. Sempre que você subir um nível, ganhará uma Memória.

Colocar essa barreira no modo história é algo que beira o inconcebível. Há algumas pessoas que podem até defender isso, alegando que foi uma maneira da desenvolvedora fazer o jogador aproveitar todo o conteúdo do game ou então aprender a jogar, já que ficará horas e horas no online e Gauntlet Mode até conseguir a quantidade necessária de Memorias para liberar todo o modo história. O problema é que essa decisão deixará extremamente desapontados os jogadores que comprarem Dissidia Final Fantasy NT para aproveitarem unicamente a história do game sem contratempos.

Além disso, não existe muito conteúdo disponível em Dissidia. Há o modo história, o modo offline composto do Gauntlet (arcade) e Sparring (luta personalizada contra a IA) e o modo online. Só isso. Não se deram nem ao trabalho de implementar um modo de treinamento, presente em praticamente todos os jogos de luta atuais, menos esse.

Mas devo ser justo, pois ao avançar no modo história, você libera novos Gauntlets, mas francamente eles nem valem o seu tempo, já que não adicionam nenhum conteúdo extra à narrativa. Servem apenas como outras oportunidades para obter Materia e nada além disso.

Em Dissidia Final Fantasy NT você também ganha dinheiro lutando, o qual serve para comprar diversos tipos de recompensas para os personagens, como roupas e armas, que representam apenas alterações no visual e não afetam em absolutamente nada a força deles nas lutas. Tais prêmios também podem ser ganhos sem precisar gastar o dinheiro virtual, pois sempre que você sobe o nível de seu avatar ou dos personagens, você recebe uma loot box que lhe dá três recompensas aleatórias. É importante ressaltar que não existe qualquer forma de microtransação com dinheiro real no game.

Uma cópia digital do game para PS4 foi fornecida pela Square Enix para análise.