Share Button

Divulgação

Após os dois trágicos massacres cometidos no fim de semana nos EUA, o presidente Donald Trump fez uma declaração nesta segunda-feira (5) condenando o racismo, o fanatismo e a supremacia branca, bem como apontou os perigos da “glorificação da violência em nossa sociedade“, o que inclui os videogames.

Precisamos parar de glorificar a violência na nossa sociedade. Isso inclui games horríveis e medonhos que agora são comuns”, declarou Trump.

Hoje é muito fácil para jovens problemáticos ficarem cercados por uma cultura que celebra a violência. Temos que impedir ou reduzir isso substancialmente. E tem que começar imediatamente“, disse ainda, em vídeo oficial transmitido pela Casa Branca.

Além dele, o governador Dan Patrick do Texas, região onde ocorreu um dos ataques, também relacionou a indústria de videogames com o tiroteio.

Por quanto tempo vamos deixar, por exemplo, e ignorar particularmente em nível federal, onde eles podem fazer algo sobre a indústria de videogames“, perguntou em programa da Fox News.

O político, então, faz referência a um suposto manifesto escrito pelo atirador antes do ataque, onde fala sobre o seu de ódio contra imigrantes e chega a mencionar a franquia Call of Duty.

Neste manifesto que acreditamos ser do atirador, ele fala sobre viver sua fantasia de super soldado em ‘Call of Duty‘”, comentou Patrick.

Sempre tivemos armas. Nós sempre tivemos o mal. Mas o que mudou quando vemos essa onda de disparos?“.

Patrick também mencionou que os videogames parecem ser o “denominador comum” entre os atiradores em massa. “Eu vejo uma indústria de videogames que ensina os jovens a matar“, disse.

O governador não é o único político de direita a se apoiar nessa ideia. O líder da minoria da Câmara, Kevin McCarthy também comentou sobre o assunto na Fox News.

A ideia desses videogames desumaniza os indivíduos a terem um jogo de atirar em indivíduos e outros“, disse o republicano. “Quando você olha essas fotos de como [o tiroteio de El Paso] aconteceu, você pode ver as ações dentro de videogames e outras“.

As declarações marcam os mais recentes casos de tiroteios em massa, que até nesta segunda-feira (5) já vitimaram 31 pessoas, em que políticos culpam os jogos violentos, que se tornaram uma espécie de bode expiatório popular sempre que violência armada surge.

Vale a pena lembrar que pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, publicaram um estudo no início do ano dizendo que os jogos violentos não influenciam o comportamento agressivo dos adolescentes.