Share Button

Kevin Feige, chefão da Marvel Studios, conversou recentemente com o UOL e explicou porque o novo filme da editora, “Doutor Estranho“, é uma experiência que vale a pena ser assistida em cinemas 3D.

Se você gosta de ir ao cinema para ver efeitos especiais que você não acha na sua TV, este é o filme“, disse ao UOL, durante o lançamento do longa em Los Angeles.

“Tecnicamente, foi o filme mais complicado que já fizemos simplesmente por causa do complexidade visual do que pusemos na tela. Quando fizemos o personagem Falcão, que é um personagem 3D muito crível, foi tecnicamente muito difícil, mas o desafio era chegar à complexidade da pele humana e da musculatura. Mas, em ‘Doutor Estranho’, esse caleidoscópio da dimensão espelhada ou a aparência de sua forma astral era mais difícil porque não havia referências“, explica.

Gamehall já assistiu ao filme (leia nossa crítica) e confirma que a experiência em um cinema Imax 3D é arrebatadora, como nunca se viu antes em um filme de super-herói. O espetáculo visual, no entanto, teve várias referências como “2001 – Uma Odisseia no Espaço” e “A Origem”, passando pela obra de artistas como Salvador Dalí e M.C. Escher — aquele das escadarias infinitas cuja exposição passou pelo Brasil em 2011 e foi uma das dez mais visitadas do mundo naquele ano.

A raiz de tudo foram as viagens visuais dos quadrinhos, mas também incluímos referências de ‘2001 – Uma Odisseia no Espaço’, especialmente aquela sequência final quando o astronauta se aproxima de Júpiter. [Stanley] Kubrick [diretor de ‘2001’] lia ‘Doutor Estranho’? Não sei. Provavelmente não. Mas aqueles efeitos visuais faziam parte do estilo dos anos 1960“, finalizou.