Share Button

Foi divulgado em uma reportagem da Bloomberg que os funcionários da CD Projekt RED que estão trabalhando em Cyberpunk 2077 vem trabalhando seis dias por semana para conseguir concluir o jogo a tempo do lançamento, que ocorrerá em 19 de novembro para PC, PS4 e Xbox One.

A informação foi obtida por meio de um e-mail, no qual o chefe do estúdio, Adam Badowski, disse à equipe toda que isso era necessário para polir o jogo. Ele também admite que isso não era algo que gostaria de fazer, pois vai contra aquilo que ele já havia declarado no passado, e diz aceitar “a repercussão total pela decisão”.

“Eu sei que isso está na direção oposta sobre aquilo que falamos sobre crunch. Também está na direção oposta naquilo que eu pessoalmente passei a acreditar há algum tempo atrás – que crunch nunca deve ser a resposta. Mas esgotamos todos os outros meios possíveis de lidar com esta situação”.

Crunch é algo que determinadas produtoras de jogos fazem aos funcionários, obrigando-os a trabalharem muito além do período habitual e muitas vezes sem serem remunerados por isso. No caso da CD Projekt e Cyberpunk 2077, o e-mail de Badowski deixa claro que os funcionários serão pagos pelo tempo extra, conforme mandam as leis trabalhistas da Polônia.

O próprio Badowski decidiu compartilhar no Twitter uma mensagem a respeito dessa decisão, dizendo que “estas últimas seis semanas são nossa arrancada final” para concluir Cyberpunk 2077, que fazer os funcionários trabalharem seis dias nestas semanas foi “uma das decisões mais difíceis que eu tive de fazer, mas todos serão bem compensados por cada hora extra que trabalharem”, e também que “assim como nos últimos anos, 10% do lucro anual que nossa empresa gerar em 2020 será dividido igualmente com a equipe”.