Share Button

Nos anos 90 o desenho dos Cavaleiros do Zodíaco virou febre no Brasil, e mais de 20 anos depois a franquia continua elevando o cosmo de antigos e novos fãs com novos animes, mangás, games e uma variedade de produtos.

E não é de se admirar que todo esse amor não seja retratado na vida cotidiana dos seus fieis admiradores, como foi o caso do estudante Administração Jonathan Julian, de 26 anos, que apresentou na semana passada seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na Universidade Federal de Pernambuco, em Caruaru, baseado nos icônicos personagens japoneses.

O trabalho acadêmico, fora do comum, tinha como objetivo identificar perfis de liderança nos famosos personagens, analisando o perfil/personalidade de Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda e Ikki de Fênix.

O TCC foi batizado de “‘Me dê seu líder, Pégaso’: Um estudo dos perfis de liderança presentes nos Cavaleiros do Zodíaco” – uma referência à série, em que o protagonista Seiya de Pégaso tem como grito de guerra a frase ‘Me dê sua força, Pégaso’.

Com a pesquisa, Jonathan obteve nota 9,5 na avaliação da banca e revelou que assiste “Cavaleiros do Zodíaco” desde 1994, quando o anime foi lançado na TV brasileira. “Eu assistia a série desde pequeno. Depois que entrei na faculdade, comecei a procurar professores que orientavam TCC’s que tinham a ver com animes, mas eles só faziam isso quando era mais relacionado com a área de marketing“, explicou.

Após uma conversa com um professor, Jonathan decidiu que iria analisar os perfis de liderança dos cinco principais personagens dos “Cavaleiros do Zodíaco” para desenvolver a monografia. “Fui fazendo o TCC aos poucos. A produção mesmo começou no 6º período. Meu orientador não conhecia os Cavaleiros, mas deu apoio e me ajudou“, destacou.

O TCC dele é sobre liderança e o objeto de estudo são os principais personagens dos Cavaleiros do Zodíaco. Como eu não conhecia muito o desenho, minha orientação foi basicamente com relação às várias teorias de liderança, enquanto ele ficou a cargo de relacionar isso com os personagens. É incrível como ele tem noção dos detalhes do anime“, ressaltou o professor Luiz Sebastião.

Segundo Jonathan, os avaliadores da banca ficaram impressionados com o tema inusitado. “Eles consideraram que a academia está muito fechada, focando apenas em estudos tradicionais como análise de cases. Estava precisando de uma renovação, e gostaram“, comentou.

[via G1]