Share Button

Uma das maiores surpresas de deste ano é o Far Cry: Primal. Anunciado em outubro, o anúncio surpreendeu, por conta da Ubisoft ter tido diversos problemas de vazamentos de informações de outros jogos (sobretudo os Assassin’s Creed Unity e o Syndicate) e por não ter tido indícios de que a Ubisoft anunciaria um game com poucos meses antes do lançamento. O jogo surpreendeu, trazendo uma nova abordagem para a série, saindo da era atual e viajando 10 mil anos antes de Cristo, trazendo 2 tribos em pé de guerra para conseguir sobreviver.

Se a série já é brutal por natureza, este novo jogo de mundo aberto veio pra trazer uma abordagem mais realista. Tão realista que até o idioma dos personagens é um idioma mais “tribal” (por assim dizer) junto com algumas novidades na série.

Far Cry Primal - Mamutes

Far Cry: Primal traz um ambiente mais cru, com o jogador sendo um Takkar, um Wendja que praticamente fica sozinho e tem de juntar o seu povo. Esta é uma época inóspita, crua, onde caçar é a chave para sobreviver, e ser a caça nunca será a opção. E ficar sozinho em um ambiente altamente hostil também não é uma opção, que define parte da narrativa. Inicialmente o nosso herói quer encontrar a terra de Oros, e quando ele chega na localidade, ele começa a ter contato com mais pessoas de sua facção, enquanto tem de lutar contra os Uldam, uma tribo canibal perigosa e que ameaça a tribo de Takkar.

Visualmente o game é soberbo, por ser o primeiro jogo exclusivamente da nova geração de consoles, com visuais impressionantes da florestas, riachos, cavernas, a iluminação quando você está em uma tocha…mas o que mais me impressionou é o novo sistema de “domesticar animais selvagens”. Durante a aventura o jogador consegue ser um “Mestre das Feras”, com ele trazendo uma fera ao seu lado e podendo usar ela desde para atacar um inimigo, usar suas habilidades para rastrear inimigos próximos, entre outros. Cada ajudante tem as suas vantagens e desvantagens, mas um detalhe sutil que impressiona é a opção de “afagar” o bicho, passando a mão na cabeça dele e deixando ele “feliz”! Em matéria de realismo e animação impressiona, como se você estivesse fazendo isso com o seu ajudante (fico imaginando esse jogo com um óculos de realidade virtual…seria muito impactante!).

Far Cry Primal - Lobo Ajudante

Claro que o jogo tem o feijão com arroz básico da série: combates corporais ou com arco e flecha, invasão de locações para destravar novos pontos do mapa e a novidade do sistema de bônus, com o jogador fazendo diversas sidequests para aumentar a população dos Wendja, conseguindo bônus diversos e sendo necessários para destravar novas barracas dos principais NPCs, oferecendo habilidades únicas especiais e novas missões.

Nas locações o jogador também pode coletar diversos recursos, desde madeira, plantas e caçar feras selvagens, tanto para domesticação, quanto para conseguir recursos extras, como peles, carne (usada para diversos tipos de curas e potencializadores), entre outros recursos. Claro que, por eu gostar de classes ranged de MMOs, e pelo meu personagem principal do World of Warcraft ser caçador/hunter, o recurso de domesticação e de usar um ajudante me cativou ainda mais.

Far Cry Primal - PS4 Screen

O jogador também ganha pontos de habilidade para destravar novas habilidades, oferecendo uma ampla gama de habilidades, movimentações e melhorias, como caçar feras mais exóticas, coletar mais recursos, habilidades para a coruja (que pode ser usada para mapear uma área, mapeando os inimigos de um posto avançado, entre outras funções), entre outros. O jogo também oferece diversas abordagens para conseguir um posto avançado, desde furtividade ou partir para cima, mas às vezes, dependendo do local, os inimigos podem chamar mais oponentes, deixando a situação mais insana e difícil.

Outro ponto interessante é do mundo ter vida própria, ainda mais com a vida selvagem. Você está lá cruzando uma clareira quando vê alguns lobos caçando algumas cabras, ou mesmo quando os animais fogem de você ao ver que a luta “está perdida” para eles. Também é particularmente curioso quando, ao estar com um tigre ajudante, os animais mais fracos fugirem com o simples rosnar dele. Também acontece do jogador achar mais Wendja enfrentando Uldans diversos, tanto com sidequests, quanto com alguns encontros mais aleatórios, com o jogador ajudando o companheiro a sair de uma enrascada.

Far Cry Primal - NPC

Far Cry: Primal é enorme, ainda mais com a enorme quantidade de tarefas que o jogador poderá fazer, tanto da campanha principal, quanto das missões secundárias. Sem contar o conteúdo mais recente lançado, como o suporte a resolução 4K e o modo de “morte permanente”, que adiciona um realismo elevadíssimo, já que aqui, como acontecia antigamente na história humana, as pessoas sofreram bastante pra conseguir sobreviver. Para quem curtiu os anteriores ou quer uma aventura mais aberta, o jogo é altamente recomendado!