Share Button

Em entrevista para Famitsu e a Dengeki Online, o diretor de Final Fantasy VII Remake, Tetsuya Nomura, detalhou mais a respeito do jogo e explicou o motivo dele ser lançado em várias partes.

“Se nós dedicássemos nosso tempo para apenas um lançamento, partes do jogo teriam de ser resumidas. Nós teríamos de cortar algumas partes, e partes adicionais viriam em menor quantidade, então ao invés de fazer o remake em um único volume, nós decidimos fazê-lo em múltiplas partes,” afirmou Nomura.

Foram fornecidos também maiores detalhes a respeito do sistema de batalha que estará presente no remake.

“Em relação ao tempo e velocidade das batalhas, nós queremos fazer algo do nível de Dissidia Final Fantasy,” disse Nomura. “Na prática, será Dissidia Final Fantasy, depois Kingdom Hearts, e aí Final Fantasy VII Remake. Não haverá ação alguma que necessite de uma técnica. Usando o novo sistema, nós queremos fazer as batalhas com ação e ao mesmo tempo lutar enquanto pensamos estrategicamente”.

“No final, é baseado em Final Fantasy VII, então elementos como a barra de ATB e Limit Breaks irão aparecer com novas maneiras para serem usados.”

Foi revelado também que os jogadores poderão explorar locais em Midgar que não estavam acessíveis anteriormente. O grupo será composto por 3 personagens, tal qual no jogo clássico. A cena onde Cloud usa um vestido para Don Corneo estará no jogo, mas ainda não foi feita. Outros estúdios estão ajudando no desenvolvimento, como por exemplo a CyberConnect2.

Final Fantasy VII Remake tem presença confirmada no evento Jump Festa 2016 da Square Enix que ocorrerá nos dias 19 e 20 de dezembro. Talvez mais novidades sejam reveladas nesta ocasião.

Via Gematsu