Share Button
(Fotos: Patrick Paula)

No último sábado (22), aconteceram dois showmatchs de Counter Strike:Global Offensive na Geek & Game Rio Festival: um masculino e um feminino. No caso das meninas, a equipe campeã foi a Team Victory, como abordamos em um texto na semana passada (LINK).

Para sabermos mais sobre o evento e o confronto, batemos um papo com a campeã, Camila “cAmyy” Natale, do Team Victory. Durante a conversa abordamos alguns assuntos bem interessantes, que foram desde o “comeback” sofridos por elas, no segundo mapa, até o título e a organização do evento. Confira:

Foxer: Olá cAmyy, muito obrigado pelo seu tempo cedido a mim e a Gamehall e parabéns pelo título! Antes de começarmos de fato o nosso papo, eu gostaria que primeiro você se apresentasse aos nossos eleitores. Quem é a Camila Vicentini Natale e quem é a cAmyy?

cAmyy: Obrigada pela parabenização! Primeiramente olá a todos, me chamo Camila Vicentini Natale, tenho 26 anos e sou jogadora profissional de CS:GO, além streamer nas horas vagas. Camila e cAmyy são iguaizinhas haha, não me desfaço do que acredito, das minha opiniões ou gostos. Tento ser o mais correta possível na vida dentro e fora do jogo.

Foxer: Agora devidamente apresentada, que tal começarmos de uma forma um pouco mais light? Me fale sobre o que você achou do evento em si, os stands, os cariocas, enfim, tudo que você curtiu na GGRF.

cAmyy: O evento foi muito bem planejado para nós players, tivemos viagem, estadia e alimentação inclusas, o que nos deixa bem mais tranquilas para simplesmente focarmos no jogo, e claro, fomos muito bem recebidas no Rio de Janeiro com um hotel sensacional, onde fomos muito bem acomodadas.

O evento foi de um tamanho incrível, me senti até em campeonatos de outros países. O palco era sensacional e eu fiquei muito feliz de poder participar de um evento desse tamanho, com uma premiação justa para masculino e feminino, o que nunca foi visto por aqui antes. Nós também tivemos uma boa visibilidade no evento, foi lindo de se ver!

Fora dos jogos, eu também pude dar uma volta pelo evento e estava tudo muito lindo, com stands muito legais. Realmente tinha muita coisa legal para se fazer lá e muitas novidades para conhecer.

Foxer: Quando se trata de um grande evento deste tipo, normalmente as equipes intensificam um pouco mais seus treinos diários, para obter melhores resultados. O Team Victory chegou a fazer algo do tipo? E como foi essa preparação para jogar contra a ProGaming?

cAmyy: Sim, logo que soubemos das datas certas do evento, nós intensificamos os treinos, aumentamos as horas, focamos em determinados mapas, estudamos o time adversário, revisamos o que já tínhamos e treinamos coisas novas, que adicionamos nos mapas.

Foxer: Eu assisti todo o showmatch da arena e posso afirmar que além dela estar lotada, a galera fez bastante barulho durante os jogos. Como foi para você e sua equipe jogar diante de tantos espectadores? Rolou alguma pressão a mais ou vocês levaram isso como uma motivação?

cAmyy: Eu não tenho como falar como foi pro time todo, mas a pressão sempre estará presente. Ela pode até incomodar em todo começo de campeonato, mas depois fica tudo tranquilo e o jogo flui naturalmente com o passar dos rounds. Somos um time de meninas bem experientes em campeonatos presenciais.

No meu caso foi algo emocionante saber que tinha tanta gente torcendo lá, além da família e amigos assistindo pela televisão. Eu lido bem com a pressão, já tenho uma certa experiência com 3 mundiais disputados, dos quais me ajudaram muito a controlar o nervosismo e a ansiedade. Na verdade, durante a partida eu esqueço onde estou e o tanto de gente que tem me assistindo, e foco no que é essencial naquela hora, que é o que está acontecendo dentro do jogo.

Foxer: Falando do jogo em si, o que você achou das partidas e qual foi o diferencial que deu a vitória a Team Victory?

cAmyy: Achei os três jogos muito bem jogados por ambos os times. Nós tivemos nossos vacilos em alguns momentos, elas surpreenderam em outros também, mas em geral acho que um fator que ajudou bastante foi o tempo em conjunto que já temos, que é um bom tempo. A maioria de nós jogamos juntas há anos, e temos já certas experiências que nos ajudam a ter calma e pensamento rápido para resolver problemas nas partidas. Também sabemos como encaixar o jogo de cada uma, temos um bom teamplay.

Foxer: Outro ponto sobre a partida do qual não posso deixar de falar, foi o comeback na Cache. Vocês estavam vencendo com um placar extremamente elástico, mas a ProGaming conseguiu o empate e logo depois venceu no Overtime. Qual fator foi crucial para esta virada de jogo e como vocês conseguiram manter a concentração para o terceiro mapa?

cAmyy: Nós já sabíamos que a cache era um mapa que elas jogavam e gostam bastante, mas quisemos arriscar jogar o mapa mesmo assim.

Nosso problema foi o lado ct, onde não estávamos conseguindo encaixar retakes, mas claro que o mérito foi delas também, pois jogaram muito bem. Quando acabou o jogo e nós perdemos, ficamos bem chateadas, pois o mapa era nosso, mas quando acaba um mapa, começa tudo de novo. Tudo estava nas nossas mãos e foi o que fizemos, entramos de cabeça limpa na Overpass e sabíamos que era um bom mapa nosso, então a confiança prevaleceu.

Foxer: O que você tem a dizer de todo o apoio que as equipes femininas receberam neste evento, tanto dos visitantes quanto dos organizadores?

cAmyy: Foi tudo muito especial, um apoio que nunca vimos nem tivemos antes por parte dos organizadores. Eles nos deram uma atenção e suporte incrível, fiquei muito feliz por isso e senti que o nosso trabalho finalmente estava sendo reconhecido e recompensado. Após os jogos, tiveram várias pessoas perto querendo fotos, falar com a gente, até pessoas que não nos acompanhavam falaram que a partir dali iam nos seguir e torcer pra gente em futuros eventos. Sério, foi lindo demais!

Foxer: Um dos grandes apoiadores de tudo isso foi a MixBR, que irá lançar uma nova plataforma de CS:GO no Brasil. O que você achou da ideia, de acordo com o que viu e ouviu por lá e o que você espera deste projeto?

cAmyy: A Idéia é incrível, novidades são sempre bem vindas. Espero muito que continue dando certo, pois irá ajudar cada vez mais o cenário a crescer e ter uma competitividade saudável entre as empresas. Quem sai ganhando com tudo isso somos nós, os players, cada vez tendo mais opções para jogar.

Foxer: Por enquanto é isso cAmyy. Muito obrigado novamente pelas respostas e por reservar seu tempo corrido a nós. Gostaria de deixar algum recado final?

cAmyy: Obrigada a vocês pela oportunidade!

Eu gostaria agradecer as meninas do meu time, que são ótimas players e ótimas pessoas. Jogar ao lado delas é maravilhoso e juntas somos maiores!

Também quero agradecer a minha nova organização, Team Victory, e nossos patrocinadores pelo apoio e por todo o suporte que nos dão todos os dias, além é claro, dos organizadores da Geek & Game pela oportunidade única que tivemos de participar de um evento tão monstro e sermos tratadas de igual para igual num campeonato tão bem organizado e grande como esse.

Fiquem ligados no site e no Youtube da Gamehall, pois mais conteúdos sobre a GGRF aparecerão por aqui!