Share Button

– Gladiadores e lutas sangrentas na tela do PSP –

Antes de mais nada, não deixe de conferir a Gladiator Girl, uma das nossas Japas Girls e garota-propaganda deste jogo.

“Gladiator Begins” foi produzido pela mesma empresa que lançou “Colosseum: Road to Freedom” em 2005, para PlayStation 2, e ambos compartilham a mesma ideia: controlar um gladiador em lutas sangrentas em arenas da Roma Antiga, e assim conseguir um número de vitórias até conseguir a tão sonhada liberdade.

A história do jogo mostra Marcus Aurelius Antoninus, o último dos “Cinco Bons Imperadores”. Ele é dotado de uma mente brilhante e ideais pacifistas que trouxeram a paz. No entanto, como Marcus está com os dias da sua vida contados, a questão da sucessão foi levantada. Uma rixa irrompeu entre os aristocratas e os militares, que apoiam Commodus, filho de Marcus, e o general Cassius, respectivamente. A rivalidade ficou mais intensa e quando os dias de paz de Roma começam a ter um fim e um novo gladiador chega ao Coliseu.

Assim o jogador assume o papel de escravo que acabou de ser comprado por um instrutor de gladiadores, com um objetivo bem simples: sobreviver aos combates, pagar o preço que custou ao seu instrutor e, se conseguir mais dinheiro, comprar a própria liberdade. A história oferece cinco caminhos distintos que o jogador pode seguir.

Construa o seu gladiador

Apesar de uma longa lista de defeitos que o jogo apresenta, em um elemento ele se destaca: as lutas são brutais e sangrentas dentro das arenas.

Outro elemento bacana é a criação do gladiador, com uma série de opções que variam entre o tipo físico, cor da pele, rosto, cabelo, origem e até o sexo, podendo o seu gladiador ser uma bela mulher. É possível também distribuir pontos de atributos que influenciam no comportamento do personagem, como em um jogo de RPG. São eles: vitalidade, para quem quer um combatente mais ágil; força física, para ataques devastadores e resistência, para aguentar melhor os golpes recebidos.

O jogo também impressiona pela grande gama de opções de equipamentos, armaduras e armas que podem ser equipadas e visualizadas nos combates, sendo que elas também possuem estatísticas que influenciam nas lutas. Os itens podem ser comprados com comerciantes nas arenas ou até adquiridos de graça, arrancando-os dos adversários durante as lutas. É possível também criar variações nos equipamentos, algumas para melhor, outras nem tanto.

As lutas ficam mais difíceis, com batalhas um-contra-um, com vários gladiadores em campo, batalhas contra humanos e animais e batalhas contra chefes, que possuem um nível e equipamentos superiores e oferecem um grande desafio.

Os combates, por sua vez, não possuem golpes complexos, sendo eles ataques altos, baixos ou laterais. Ao fazer uma sequência de golpes em um determinado ponto, pode-se arrancar partes da armadura, o que deixa aquela parte extremamente vulnerável.

Eventualmente o gladiador ganha novos golpes especiais entre vários estilos de luta como combates com as mãos livres, com arma e escudo, com apenas uma arma ou com uma arma em cada mão. Ataques especiais utilizam vitalidade do gladiador, o que pode deixá-lo cansado e vulnerável a golpes se usados com imprudência.

Os combates são intensos e brutais, mas aqui reside ao principal ponto negativo de “Gladiator Begins”. Sua mecânica torna-se repetitiva rapidamente, com um sistema que requer que o jogador ande pela arena e ataque com golpes seguidos, apenas apertando os botões diversas vezes, o famoso “esmagador de botões”. Apesar de existirem opções como bloqueio, esquiva e contra-ataque a ação se concentra apenas em mutilar o adversário até ele cair no chão, em combates repetitivos e enfadonhos.

O título apresenta gráficos e visuais bem detalhados dos gladiadores e seus equipamentos, com um bom número de animações. Mas todo o resto, como as arenas, não possuem nenhum destaque. Os efeitos sonoros e as músicas se encaixam bem com o estilo do jogo, mas as animações que mostram a história não são dubladas, com os personagens soltando grunhidos e sons vocais que soam bastante estranho, especialmente se você já jogou “Metal Gear Solid: Peace Walker”, que apresenta um requinte muito maior.

“Gladiator Begins” ainda apresenta opções de jogar pela rede Wi-Fi Ad-Hoc do PSP contra outra pessoa e até trocar de personagens online, mas são características simplórias, que pouco acrescentam à experiência

* Texto originalmente publicado no UOL Jogos