Share Button

No passado, o CEO da Take-Two, Strauss Zelnick, estava otimista com o Google Stadia, graças ao conceito de ser possível jogar em qualquer lugar. No entanto, a opinião dele mudou de lá para cá.

Zelnick disse na semana passada durante uma entrevista na Conferência Anual de Decisões Estratégicas de Bernstein (via Arstechnica) algo que aparentemente outras pessoas dentro da indústria já perceberam: “O lançamento do Stadia tem sido lento”, disse. “Eu acho que houve promessas demais sobre o que a tecnologia poderia oferecer e alguma decepção do consumidor como resultado.”

A Take-Two, diferentemente de outras empresas maiores, como EA e Activision, resolveu abraçar o Stadia desde que o serviço foi lançado em novembro, com Red Dead Redemption 2, NBA 2K20 e Borderlands 3, e Zelnick disse que a empresa continuará dando apoio ao produto “desde que o modelo de negócios faça sentido” com WWE2K Battlegrounds, PGA Tour 2K21 e a série Mafia a caminho do Stadia. Zelnick, no entanto, não acredita que a plataforma causará muito impacto nas vendas dos jogos da Take-Two.

“Não é um divisor de águas,” disse Zelnick. “As pessoas que querem nossos jogos agora, podem adquiri-los agora. O fato de você poder transmiti-los e não precisar ter uma interface de console não é realmente grande coisa.”

“Se você vai pagar mais de US$ 60 por um lançamento, e mais internacionalmente, você realmente está disposto a comprar um console de US$ 300?”, disse. “A crença de que streaming seria transformador era baseada numa visão de que havia diversas pessoas que realmente [tinham] interesse em entretenimento interativo, realmente queriam pagar por isso, mas não queriam ter um console. Eu não tenho certeza se esse foi o caso.”

“Estou animado a respeito da tecnologia [de streaming] e o que ela pode fazer,” concluiu Zelnick. “Mas eu não acredito que isso irá multiplicar nosso mercado em 10 ou 20 vezes. E se fizer isso, seria ótimo. Adoraria estar errado.”