Share Button

Atualização 4/3 – 00h42:

A situação mudou. Ao contrário do que foi dito antes, Ancine quer diminuir os impostos sobre games e não criar uma nova taxa

Notícia original 3/3 – 15h03:

Como se não bastasse os jogos já terem uma tributação esmagadora no Brasil, que prejudica não apenas as empresas do setor mas também os consumidores, o governo federal decidiu cobrar uma “taxa cultural” da indústria de games. As informações a respeito são do colunista do UOL, Ricardo Feltrin.

Através de uma consulta pública realizada pela Ancine, que termina na próxima segunda-feira (6), o governo federal anunciou que vai cobrar a Condecine (Contribuição para Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica) também da indústria de jogos eletrônicos, já que, segundo a agência, trata-se de um produto audiovisual.

Emissoras de TV e operadoras de TV paga já pagam hoje o Condecine por todos os filmes e seriados estrangeiros e nacionais, e agora chegou a vez da indústria de jogos também pagar isso.

“A importância do setor de jogos, assim como os demais setores da indústria audiovisual, não se resume ao tamanho de sua economia, ainda que esta seja forte indicador de sua capacidade de geração de emprego e renda,” diz a nota da Ancine. “O jogo eletrônico é também um campo rico em produção cultural.”

Através do documento de “Consulta Pública de Análise do Impacto Regulatório,” divulgado no último dia 6 de dezembro, a Ancine deixa claro que está de olho no poder econômico do setor.

“Uma tendência mundial que vem se tornando predominante ao longo dos últimos anos é o crescimento acelerado dos recursos movimentado pelos jogos online, que passaram de aproximadamente U$ 8 bilhões em 2007 para U$ 28 bilhões em 2015.”

Ainda não sabemos o impacto que essa medida trará ao preço dos jogos para os consumidores.