Share Button

Alguns sites tiveram a oportunidade de testar uma versão de Death Stranding utilizando o recurso DLSS 2.0 das placas GeForce RTX. A função serve para renderizar a imagem com ajuda da inteligência artificial, causando um aumento no desempenho.

Da mesma forma que em Control, o DLSS 2.0 se mostra muito eficaz no jogo de Hideo Kojima. De acordo com o site Tom’s Hardware, o recurso permite jogar o game em 4K e 60 fps utilizando qualquer placa GeForce RTX. Sim, até mesmo a RTX 2060, que é a mais fraca delas.

Existem dois modos de DLSS no game – um focado em qualidade visual e outro em performance. Na RTX 2060, segundo a página, usando o modo qualidade a taxa de quadros foi de 103 fps para 128 fps em 1080p, 75 fps para 100 fps em 1440p e 43 fps para 56 fps em 4K. Já no modo performance, conseguiram alcançar 4K rodando em 77 fps.

A diferença desse último modo é que ele renderiza o gráfico na metade da resolução, ou seja, não é algo nativo. No caso, 4K nesse modo é 1080p com upscale. De acordo com o que informaram, no entanto, é bem difícil de identificar as diferenças gráficas entre os modos qualidade e performance sem olhar com muita atenção.

A página também ressalta que mesmo se você não tiver uma GeForce RTX, poderá jogar Death Stranding em 1080p com os gráficos no máximo se tiver uma placa de vídeo decente (não disse qual), ou até mesmo 1440p caso possua uma placa de alto nível. Os requisitos para rodar o game estão neste link. Mais detalhes sobre como funciona o DLSS 2.0 no game estão no site da Nvidia.

Death Stranding chega ao PC no dia 14 de julho.