Share Button

Desenvolvido pela Neopica e publicado pela Bigben Interactive, Hunting Simulator é um simulador de caça (no mesmo estilo das tradicionais franquias Cabela’s e Deer Hunter) que chegou para PC, PS4 e Xbox One. O título tem como objetivo colocar o jogador na pele de um caçador enquanto explora diversas áreas diferentes em busca de várias espécies de animais exóticos. Confira nossa análise.

Hunting Simulator apresenta 12 mapas distintos, cada um com diversas missões que contam com objetivos primários e secundários. Estes mapas, que são baseados em áreas reais de caça, abrigam 35 espécies diferentes incluindo animais de pequeno, médio e grande porte. O objetivo do jogo é abater o animal em questão solicitado em cada nível e se for do interesse do jogador aproveitar e abater os demais animais das missões secundárias. A pontuação de cada fase se baseia em diversos fatores, como, por exemplo, a precisão do tiro, parte do animal acertada, número de disparos e a distância entre a você e o alvo.

O jogo não exibe animais ensaguentados ou cenas de esfolamento. Opta por representá-los deitados quando abatidos.

Ao todo são quatro modos de jogo incluindo a Campanha e a Caçada Livre e modo online para até quatro pessoas, podendo ser jogado em partidas privadas ou públicas.

A jogabilidade é bem simplificada. A câmera pode ser em primeira ou terceira pessoa e é possível carregar duas armas ao mesmo tempo e alguns itens, como chamarizes, borrifadores que disfarçam o odor humano e binóculos. Mas os recursos não começam desbloqueados, sendo assim, é preciso avançar nas missões para que gradativamente as melhorias fiquem disponíveis, e como não existe dinheiro no game, todo conteúdo é liberado gratuitamente através de seu progresso.

Calibres diferentes são utilizados em espécies diferentes.

Cada missão se passa numa área do mapa principal e é necessário respeitar os limites de cada área, caso contrário você retorna para o ponto original do level. O processo para concluir seu objetivo é seguir os rastros deixados pelos animais, que irão indicar há quanto tempo seu alvo passou por ali e em qual direção ele foi, mas para se aproximar é preciso ter cuidado, buscando um ponto estratégico, se esgueirando por detrás de árvores ou ficando agachado/deitado na grama para não ser notado. Isso é necessário, pois, a partir de 150 metros de distância os animais sentem sua presença e podem se dispersar facilmente caso algum descuido seja cometido.

O ponto cardeal “Leste” não foi traduzido e está representado na bússola por “E” de “East”.

Os animais podem sentir presença suspeita avistando o caçador, pelo seu cheiro ou barulho, sendo assim, é necessário ter paciência para conseguir completar a missão de forma satisfatória. O jogo não é muito fácil e pode exigir muita dedicação nas primeiras fases até que se pegue o jeito.

Missões noturnas tem baixa visibilidade.

O título chama a atenção pela geografia dos mapas que é rica em detalhes e nota-se o esforço da Neopica em oferecer o melhor dentro das limitações gráficas do game. Os cenários são muito bonitos durante o dia e tem uma ótima iluminação ao entardecer, porém o mesmo não ocorre em missões noturnas, que dependendo do mapa são demasiadamente escuras, o que dificulta enxergar os alvos.

Hunting Simulator, assim como outros jogos de simulação se comunica com um público de nicho. O jogo cumpre sua proposta oferecendo quase 40 espécies diferentes, muitos mapas e dificuldade elevada que aumenta a imersão do jogo. Amantes do gênero se divertirão bastante.