Especiais

“Incidente em Varginha”, relembre o primeiro FPS brasileiro!

Um grupo de sonhadores lançou um game numa época em que ninguém o fazia!

Incidente em Varginha” é um jogo desenvolvido pela brasileira Perceptum, com uma equipe de cinco pessoas, e lançado para computadores em 1998 para fazer uma homenagem a uma lenda urbana muito comum na década de 90, que é a aparição de um E.T na cidade de Varginha, em Minas Gerais.

Além de ser o primeiro jogo de tiro em primeira pessoa do país, o game também ficou marcado por ser a primeira produção bem elaborada do nosso país, com direito a dublagem, cenas em vídeo e gráficos sofisticados considerando os poucos recursos. Na época, o desenvolvimento de jogos era ainda mais raro do que hoje em dia, e eles também foram pioneiros em criar cenários inspirados em nosso país, incluindo a Praça da Sé, famoso local de São Paulo. O game vendeu apenas 2.000 cópias, considerado “pífio”, fruto de uma má gestão da distribuidora, mas rendeu sucesso no exterior, chegando a vender 20.000 cópias “lá fora”.

Em entrevista o jornalista Theo Azevedo a UOL em 2010, o desenvolvedor Marcos Cuzziol disse que viajou até a cidade de Varginha para fazer um trabalho de alto nível. “As texturas de paredes, paisagens, sons etc, foram captadas nos locais reais. A música do nível “Praça da Sé”, por exemplo, foi composta por Fábio Cardelli [um dos desenvolvedores] e executada com “samples” de sons característicos da praça: buzinas de automóveis, falas de camelôs, entre outros. Além da pesquisa sobre o caso, também estudamos a mitologia ufológica em geral, de modo que a história de fundo pudesse fazer sentido para quem conhece o assunto”.

Curiosamente, o game rendeu aos desenvolvedores um contato das forças especiais dos Estados Unidos, que queriam o game para treinar soldados em missões específicas. “Eles queriam usar o game em modo multiplayer e com missões específicas, para treinamento de soldados Delta. Expliquei que éramos uma empresa brasileira e indiquei a NovaLogic, que na época lançava o primeiro ‘Delta Force'”.

O game, mesmo ficando relativamente obscuro com o tempo, é visivelmente esforçado e você sente que, por mais que haja um sentimento de “amadorismo” com gráficos bem “agressivos”, há muito amor em todo o desenvolvimento, fruto de um sonho compartilhado por brasileiros que não tinham nenhum incentivo para desenvolver games. Vale a pena a conferida pelo pioneirismo e curiosidade.

Vale dizer que um segundo game teve seu desenvolvimento iniciado, mas acabou cancelado.

Artigos relacionados