Share Button

International Superstar Soccer Deluxe

Futebol é um esporte que envolve muita paixão e rivalidade no mundo todo, atraindo milhares de expectadores e ganhando muitos fãs a cada dia. Nos games não é diferente, porém a rivalidade fica por conta de duas franquias, PES e Fifa, que lançam versões de seus games todos os anos acirrando ainda mais a rivalidade entre seus fãs. International Superstar Soccer Deluxe pode ser colocado como o pai de PES e mesmo com praticamente 17 anos de idade, continua dando uma aula de como fazer um jogo de futebol divertido, técnico e cheio de personalidade.

Liberdade ao jogador

A primeira característica importante e que deve ser mencionada em ISSD (International Superstar Soccer Deluxe), é a liberdade de ação dada ao jogador. Mesmo com um controle limitado, a Konami teve todo cuidado para proporcionar uma experiência agradável tanto para novatos quanto aos “craques”, permitindo que dribles e passes possam ser executados de maneira fácil, porém dando possibilidades maiores aos que treinam arduamente.

O sistema de passes, por exemplo, já inovava naquela época – 1995 no Japão, 1996 nos EUA – dando grande liberdade ao jogador. Você é que esta no controle, logo nada mais justo que permitir que você decida a direção do passe, algo que demorou muito tempo para aparecer na atual geração e que apenas figura em alguns games recentes da franquia PES. Com essa liberdade, é possível fazer trocas de passes bonitos e fazer o jogo fluir com maior beleza, mas isso cobra seu preço, principalmente com jogadores menos esforçados que encontrarão alguma dificuldade para se acostumar. Percebendo isso, a Konami estabeleceu no game um pequeno ajuste no passe que faz uma pequena correção deles (passes), o que foi feito na medida para não tirar a liberdade de passe do jogador ao mesmo tempo em que se preocupava com as limitações obvias que existiam na época em questões de controles, ainda mais por levar em consideração o controle do Super Nintendo, que não permitia ter a mesma precisão que temos agora com os controles atuais ou até mesmo nos Arcades.

Outro aspecto onde o jogador tem muita liberdade para agir da maneira que quiser é com relação aos dribles e jogadas de efeito. É possível dar as famosas pedaladas, chapéus, toques de calcanhar, carretilhas, bicicletas, pular com a bola para evitar carrinhos dos adversários, voleios e até mesmo fazer embaixadinhas a qualquer momento, tudo isso usando apenas os quatro botões de ação do console da Nintendo. Parte das jogadas é fácil de serem executadas, como as pedaladas e embaixadinhas, apenas tendo de apertar um único botão, porém, usar carretilhas ou até mesmo fazer bom uso dessas jogadas durante as partidas é algo que exige muito treino e dedicação, mas que fará diferença nas partidas, com belas jogadas e gols dignos de “placa”. É realmente impressionante o trabalho dos programadores da Konami, dando uma gama enorme de jogadas e possibilidades com um hardware e controle limitado.

Além dos passes e dribles, tanto os lançamentos quanto cobranças de faltas, escanteios, laterais e chutes dão liberdades ao jogador, porém com alguns ajustes automáticos, como no caso dos chutes, o que é compreensível já que como a câmera é muito próxima do campo fica difícil visualizar bem o gol; apesar disso, ainda é possível escolher lado onde bater e o efeito da bola, a fazendo fazer curvas na tentativa de enganar o goleiro adversário.

Rabisque sua prancheta como um verdadeiro técnico!

ISSD traz uma gama incrível no que diz respeito a estratégias, permitindo que o jogador mude desde a formação básica do time a minúcias, como definir quais jogadores irão participar dos movimentos de ataque ou marcação individual. Dentro do menu, antes de a partida começar, existem as opções, Select Squad, Formation Change, Adjust Strategy e Man to Man Marking, todas elas dizem respeito ao trabalho pré-jogo e darei breve explicações de cada uma delas.

Select Squad: aqui você definirá os jogadores titulares e poderá escolher quais serão os batedores de falta, escanteios e penaltys; vale ressaltar que o batedor de penalty é o mesmo das faltas.

Formation Change: escolha da formação do time, passando desde os clássicos 4-4-2 e 3-5-2 até algumas mais atuais, como 4-5-1 que atualmente diverge para o 4-2-3-1. Ainda é possível definir o posicionamento dos jogadores de meio de campo, ataque e defesa, porém nunca de forma individual, somente em grupo, e quais jogadores participarão dos movimentos ofensivos da equipe, aqui dando uma liberdade maior ao jogador para definir individualmente qual jogador subirá ao ataque.

Adjust Strategy: aqui é possível definir até quatro estratégias para usar durante as partidas, como contra-ataques, ataques pelas pontas, pressionar pelo centro e todos ao ataque além de definir como essas estratégias ficarão visíveis durante as partidas, ou seja, se o marcador indicando que a estratégia A esta sendo usada aparecerá na tela ou não, algo muito útil em partidas multiplayer.

Man to Man Marking: nessa opção você define a marcação individual dos jogadores adversários, definindo “quem pega quem”, algo que no futebol brasileiro vem sendo muito cobrado por parte dos técnicos.

Com tamanha diversidade e cuidado no pré-jogo, as partidas ficam muito mais divertidas e disputadas, beneficiando jogadores mais atenciosos aos detalhes e que conseguem usar de forma mais eficiente todas as opções oferecidas pelo jogo, como as mudanças de estratégias. Algo bacana e que deve ser mencionado também, é que durante as partidas, só é possível acessar o menu para fazer alterações e mudanças necessárias quando a bola sai de campo. Para isso, é preciso apertar o botão Select; ao fazer isso, um marcador aparece embaixo do logo do seu time, após a bola parar, seja por falta ou sair de campo, você vai para tela de menus, algo que da um charme a mais para o game com uma pegada um pouco mais realista.

Muito conteúdo e extras divertidos

ISSD conta ainda com uma boa gama de opções para brincar. Além do jogo de exibição, com opções de partidas únicas a torneios e ligas curtas, há torneios longos e ligas que consomem um bom tempo e são sempre muito disputadas. Há muitas seleções para escolher (o jogo conta somente com seleções) desde os obrigatórios Brasil e Argentina há outras seleções como Bulgária e Nigéria entre outras, todos com seus times clássicos da época (94/95), porém com nomes genéricos, como os clássicos Paco e Allejo. Também é possível editar sua seleção preferida, atribuindo pontos extras aos status dos jogadores, mudando número da camisa dos jogadores e até mesmo editando o uniforme, que mesmo de forma simplificada, é possível alterar o design e cores da camisa, calção e meiões.

Além da edição e modos de jogos como International e World Series, temos o básico de cobranças de penaltys e dois outros modos bem divertidos, o Training e Scenario.

No primeiro, você possui duas modalidades, Training Mode que conta com treinos livres onde temos atividades para treinar ataque, defesa, passes, dribles e até mesmo treinar defesas com goleiro (sim, ISSD permite que você controle o goleiro nos treinos) e Challenge Mode, com diversos desafios em vários fundamentos, como passes e dribles, buscando melhores pontuações em cada categoria que possui diferentes tipos níveis de dificuldades.

Outro modo bem divertido e desafiador é o Scenario, que coloca o jogador no comando de seleções em alguns jogos históricos com o placar desfavorável e tendo um determinado tempo para reverter à situação. São vários jogos históricos retratados e cada um com dificuldades diferenciadas, como o jogo de 16 de novembro de 1994, onde a Itália perdeu para Croácia por 2×1 em jogo válido pelas eliminatórias da Eurocopa de 1996.

Multiplayer para 4 jogadores!

ISSD conta com multiplayer para até quatro jogadores na mesma televisão! Além disso, é possível escolher diversas configurações, como dois contra dois, três contra um ou até mesmo deixar a máquina enfrentar-se. Mais um ponto positivo para Konami que fez um ótimo trabalho no multiplayerquadruplicando a diversão. 

 

Apresentação de gala

A Konami deu um show também na apresentação do game e nos aspectos técnicos. Quase tudo que é retratado em uma partida de futebol esta lá, claro, respeitando as limitações técnicas do Super Nintendo. A torcida está presente, fazendo muito barulho durante as partidas e há um bom número de estádios para escolher, com peculiaridades próprias nas medidas do gramado e no design dos mesmos. Existe também a possibilidade de escolher o tempo, com chuva, sol ou neve e ao início de cada partida, caso você não aperte Start para pular as apresentações, é possível participar do sorteio na moeda para escolha de campo ou bola, algo que nunca foi introduzido em PES ou Fifa. Tudo isso ajuda na apresentação do game, a ser bem fiel – ou mais próximo possível – do que é visto nos gramados reais. Existem ainda questões como condição física dos jogadores, que influenciam em seu rendimento em campo e é possível ver a condição dos jogadores na hora de escala-los, com rostos coloridos que definem suas condições; esse sistema ainda é usado em PES.

Os gráficos são de ponta, trazem jogadores ricos em detalhes e uniformes muito bem retratados; os mais chatos vão notar que os jogadores não possuem olhos e boca, algo compreensível devido às limitações em se trabalhar com 16 bits. A jogadas com cores mais claras e escuras para fazer o efeito de sombra e luz, tal qual dar a sensação de 3D ficou muito bem feito e os 22 jogadores em campo mais o arbitro dão vida as partidas, sempre se movimentando da forma que você instruiu em suas formações e estratégias. A torcida esta bem retratada assim como o gramado que convencem e, em determinados momentos, algumas cenas extras são mostradas em um telão, como quando seu jogador faz muitos gols na partida. A animação dos jogadores é excelente, com movimentos suaves e boas representações de dribles, carrinhos, chutes e tudo mais que permeiam as partidas em ISSD. Não se surpreenda ao ver os jogadores disputando pelo mesmo espaço, com o famoso “agarra-agarra” e dribles curtos ao seguir em frente a um adversário com a bola dominada, tudo muito bem representado para parecer mais natural possível; e a EA se vangloria por trazer isso somente em sua versão de Fifa 12!

A bola se comporta de modo aceitável na maioria das vezes, porém em dadas situações é preciso relevar o comportamento da dita cuja, com efeitos e curvas que desafiam as leis da física. A inteligência artificial faz um bom trabalho, com diferentes níveis de dificuldade e trazendo bom desafio.

A parte sonora também faz bonito, com torcida gritando e cantando durante quase toda partida, bons efeitos sonoros permeando tudo dentro de campo, como em chutes e passes, e até mesmo quando jogadores tomam uma entrada “mais forte” é possível ouvir seus gritos de dor.  A narração é ocasional, aparecendo em momentos chaves, porém com um bom repertório e que agradou muito na época.

Apesar do excelente trabalho da Konami o jogo não é livre de falhas. Existem alguns truques na cobrança de escanteio e laterais que permitem o jogador burlar o sistema do jogo, podendo fazer gols sem que a inteligência artificial possa reagir. Também já aconteceu comigo de a bola ficar “presa” no travessão, sem estar fora de campo, mas sem ninguém conseguir alcança-la. Apesar de existirem (bugs), eles em momento algum comprometem o excelente trabalho do estúdio responsável pelo desenvolvimento ou tiram a diversão do game.

Outras plataformas e “versões diferenciadas”

ISSD foi convertido para outras plataformas, como Mega Drive e Playstation 1; essas conversões ficaram a cargo de outros estúdios.

Devido ao sucesso e popularidade, principalmente na América do Sul, surgiram no mercado diversas modificações feitas por “terceiros”, como a famosa versão Campeonato Brasileiro 96 e Ronaldinho Soccer 97. O sucesso dessas modificações feitas por hackers foi tão grande, que elas perduram até os dias atuais na franquia PES, mesmo com os esforços da Konami em tentar evita-las; não é difícil achar versões “modificadas” de PES 2012 para PS2 ou XBOX 360, por exemplo.

Curiosidade

Após fechar a World Series na dificuldade mais alta o jogador abre o time All-Stars, que conta com jogadores em status de habilidade máximo. É possível habilitar esse time com um pequeno código, algo que era comum nos jogos de antigamente.

Outro código muito divertido também é um que você transforma os árbitros do jogo em cachorros. Um divertido “easter egg” deixado pelos desenvolvedores do game.