EspeciaisGames

Melhores Jogos do Ano 2015 – GameHall

Chegamos finalmente naquele período onde devemos dizer quais foram os jogos de maior destaque no ano. Nós aqui da GameHall resolvemos então dar nossa opinião sobre os títulos que mais nos divertiram em 2015.

Jogo do Ano para Giuseppe Carrino, Alucard (Márcio Pacheco), Rodrigo Flausino e Sammy Anderson – The Witcher 3: Wild Hunt

witcher-remasters-nao-irao-acontecer

Giuseppe: “Por mais que eu tenha adorado BloodborneMetal Gear Solid V: The Phantom Pain, nada me chamou tanto a atenção quanto a nova aventura do bruxo Geralt. O imersivo mundo de Witcher 3 te prende de tal maneira que fica difícil parar de jogar depois que você começa. A expansão Hearts of Stone, igualmente boa, é um dos raros casos onde vale realmente a pena gastar mais dinheiro em um conteúdo adicional para um jogo. Não quer fazer isso? Sem problema. Existem 16 DLCs grátis que aumentam ainda mais a já gigantesca durabilidade do jogo. Mas sério, considere comprar o Passe de Temporada de Witcher 3. Vale cada centavo, te garante a primeira expansão já disponível e a próxima que sairá ano que vem, a qual mal posso esperar para jogar.”

Alucard: “O ano de 2015 teve vários títulos muito bons, entre eles ‘Bloodborne’, ‘Metal Gear Solid V’ e ‘Batman: Arkham Knight’ (mals ae PC gamers), mas a minha escolha vai mesmo para ”The Witcher 3′. O grande número de comandos e funções assustou um pouco no início, mas bastou algumas horas para “pegar o jeitão” da coisa e pronto, o vício estava estabelecido! Um design artístico lindíssimo, uma narrativa envolvente, personagens carismáticos, trilha sonora perfeita e principalmente, muitas e muitas e muitas horas de jogo e diversão! Sua DLC segue o mesmo padrão de qualidade, tão completa que é inclusive melhor do que muito jogo full por aí. E que venham mais expansões futuramente!”

Sammy: “Eu tinha jogado o começo do primeiro The Witcher, achei um jogo chato e parado. Depois peguei o The Witcher 2 e passei um tempo com ele, a história me cativou, sempre apareciam coisas incríveis pra fazer, mas ainda não era suficiente pra me prender por completo. Quando joguei a terceira parte, não consegui parar de jogar por umas 2 semanas. Não parava de fazer as quests secundárias, queria explorar todo cenário, saber mais sobre os personagens. Passei muito tempo lendo os livros que você encontra no jogo, depois li perfil por perfil de cada personagem, pra relembrar quem são. É um jogo incrível, te prende, te faz querer saber mais de cada coisa, cada criatura. Joguei no PS4, cheguei até o final, depois parei de jogar, peguei a versão PC, e recomecei TUDO DE NOVO, só pra fazer as quests de maneira diferente e ver o resultado. E não é que muda muita coisa? Não tem outro jogo em 2015 que seja tão incrível, sem dúvidas. E além disso, as DLCs gratuitas, além da última que foi paga, mas adicionou conteúdo absurdo no jogo. É assim que se faz.”

Rodrigo: “Visual impressionante, cidades vivas e que dão a sensação de autonomia pra população, melhores falas de sidequests, melhores consequências das suas decisões. Uma decisão simples pode se tornar uma tragédia no final. Sem churumelas, nem dor. Aceitar as consequências de seus atos e as consequências da região com uma mudança de rumo. Sistema de combates simples, mas que pode ser também complexo se você usar um pouco de estratégia com as habilidades. Muitos pacotes gratuitos e uma produtora que está do lado do consumidor. Um pacote pago extenso. The Witcher 3 é altamente recomendado, é o melhor jogo deste ano e o melhor que já joguei até agora no PS4. Recomendo com todas as forças!!!”

Jogo do Ano para Gabriel Magalhães e Bruno Vanguard – Fallout 4

fallout-4-superar-vendas-skyrim

Gabriel: “2015 foi um grande ano, com ótimos lançamentos seja nos exclusivos ou multiplataforma. Metal Gear Solid V foi era o jogo que eu mais esperava para este ano, mas após jogar Fallout 4 toda a minha atenção ficou voltada para este jogo. A Bethesda conseguiu tornar maior e melhor a experiência fantástica vivida em Fallout 3 e New Vegas; com belos senários, novidades cativantes e enredo de qualidade, Fallout 4 faz o jogador se sentir em casa, com vontade de explorar cada canto do mapa em busca de quests e desafios. A construção de alojamentos é muito divertido, bem como colecionar armaduras e poder personaliza-las! Este é um jogo que merece replay!”

Vanguard: “O jogo que mais gostei com certeza foi Fallout 4. Apesar do mapa parecer pequeno, ele, na verdade, é gigantesco. Quase todos os prédios tem um interior ou um subsolo, a história de cada lugar tem um nível de detalhe absurdo que enche os olhos de qualquer fã da saga.”

Jogo do Ano para Victor Miller – Metal Gear Solid V: The Phantom Pain

funcionarios-ferias-metal-gear-solid-v-phantom-pain

“Seguindo a tradição de jogos de excelência, Metal Gear Solid V: The Phantom Pain é mais uma ótima adição para a série. Além de dar um ‘ponto final’ nos mistérios da franquia, Phantom Pain possui excelência em todos os pontos: extensa quantidade de missões principais e alternativas, dando grande longevidade do game; gráficos impressionantes; trilha sonora que combina perfeitamente com a ambientação, além de serem memoráveis; história madura com diversas reviravoltas; cenas muito bem produzidas e empolgantes; além de um gameplay impecável, adaptando a série de forma exemplar ao gênero open-world. Na minha humilde opinião, este é o melhor jogo da série, e também o jogo do ano de 2015.”

Jogo do Ano para Cristiano “Panda” Guião – Heroes of the Storm

heroes-of-the-storm-lancamento

“Gostaria de dizer que meu jogo do ano foi Witcher 3 ou Metal Gear Solid: The Phantom Pain… Mas estaria mentindo, apesar de ter gostado muito desses jogos, o meu jogo do Ano foi o Heroes of the Storm, o “Hero Brawler” da Blizzard. Foi o que eu mais passei tempo jogando, sonhando que estava jogando e me obcecando. A transformação do gênero MOBA pela mamãe Blizzard foi muito bem feita, partidas rápidas e viciantes de 20 minutos, onde jogar em equipe é essencial me viciaram! E que venha 2016 com o HOTS! Hahaha.”

Jogo do Ano para Raphael Monteiro – Yoshi’s Woolly World

yoshi-woolly-world-novo-trailer

“Contrariando a grande maioria dos gamers, o jogo que considero como o melhor de 2015 é Yoshi’s Woolly World para Wii U. Não que tenhamos tido centenas de jogos lançados para o console de mesa da Big N esse ano, mas este jogo possui uma das melhores trilhas sonoras que já ouvi, composta por Tomoya Tomita e Misaki Asada, gráficos extremamente bonitos e que dão aquele toque de fofura que só os jogos aos estilo Yarn podem trazer. Esse pode ser um dos grandes motivos para a compra de um Wii U, principalmente se você está à procura de jogos de plataforma com qualidade, já que estes estão bem difíceis de se achar. Mesmo que você não goste muito desse estilo de game, diminua um pouco o preconceito e tente só uma vez, pode apostar que você não vai conseguir parar.”

Jogo do Ano – GameHall – The Witcher 3: Wild Hunt

ferreiros-criam-espadas-geralt-witcher-3-interno

Outros jogos que merecem ser mencionados por terem se destacado em 2015, e que também podem ser considerados como alguns dos melhores jogos do ano:

  • Super Mario Maker
  • Splatoon
  • Batman: Arkham Knight
  • Xenoblade Chronicles X
  • Life is Strange
  • Bloodborne
  • Rise of the Tomb Raider
  • Undertale
  • Mortal Kombat X

Aproveitamos também para desejar boas festas para vocês! Continuem jogando bastante e que 2016 seja um ano repleto de realizações para todos nós!

 

Artigos relacionados