Share Button

A imagem acima mostra um dos grandes nomes da indústria de games, John Carmack, trabalhando na programação do lendário Quake.

Olhando mais de perto, dá para notar que a tela na qual ele está olhando é imensa. Aí você percebe que isso é 1995, quando monitores LCD ainda estavam engatinhando e qualquer tela plana disponível nas lojas era pequena e custava uma fortuna.

Carmack, nesta foto, estava trabalhando com algo muito à frente do que qualquer coisa disponível para usuários comuns naqueles dias. Trata-se de um monitor CRT InterView 28hd96 da Silicon Graphics/Integraph, com 28 polegadas, dimensões 49,5 x 69,9 x 62 cm, que pesava incríveis 45kg e consumia inacreditáveis 180 watts.

Não era uma TV sendo usada como monitor, caso esteja pensando nisso. A principal característica que deve ter feito Carmack gostar dele é o fato de que ele permitia visualizar a tela em 1080P, em pleno ano de 1995, quando ainda nem sequer sonhávamos com esse tipo de resolução para jogar ou assistir filmes.

O co-criador de Crash Bandicoot, Andy Gavin, disse que um dos poucos luxos que você tem ao passar “18 horas por dia programando videogames” é a máquina que você usa para isso. Em 1997, na Naughty Dog, ele falou que usava um computador com 8 GB de RAM, juntamente com um monitor de tela plana de 1080P adquirido por ele em 1998. Um dos primeiros a serem criados, segundo ele acredita. De acordo com ele, um monitor desses custava de US$ 4 mil a US$ 7 mil naquela época. Achou caro? Pois para obter os 8GB de RAM você precisava gastar mais de US$ 40 mil!

Esses monstruosos computadores eram estações de trabalho da Silicon Graphics, que custavam de US$ 75 mil a US$ 150 mil cada. Eram ridiculamente caras, mas davam conta do recado. Elas permitiam fazer coisas que eram impossíveis em PCs convencionais com Windows 3.1 e 95, segundo Gavin.

Quais máquinas será que os desenvolvedores de grandes produtoras usam atualmente?

Via The Geek