Share Button

O Departamento de Emprego e Habitação da Califórnia está instaurando um processo contra a Riot Games como parte de uma investigação em andamento sobre a discriminação de gênero dentro da empresa.

O orgão público notificou que recorrerá aos tribunais estaduais para exigir que a Riot forneça todas as informações necessárias sobre se as trabalhadoras do sexo feminino recebem menos do que seus empregados do sexo masculino.

A investigação tomou conta após uma publicação do portal Kotaku em 2018, que apontou assédio sexual, processos discriminatórios de contratação e uma “cultura masculina” mais ampla na Riot. Na matéria, vários homens e mulheres se manifestaram para expressar linguagem ou comportamento sexista que enfrentaram durante seu tempo na empresa.

Em novembro, duas mulheres que haviam trabalhado com a empresa entraram com uma ação contra a Riot alegando que a desenvolvedora de League of Legends negava pagamento igual por conta do gênero. Em resposta, mais de 150 funcionários da Riot organizaram uma paralisação em toda a empresa em maio. Enquanto a Riot apoiou o protesto, emitiu uma declaração dizendo que não mudaria suas políticas atuais por conta da investigação.

“Estamos em conversas ativas com Departamento de Emprego desde o início da investigação (..) Durante esse período, respondemos prontamente às solicitações e produzimos mais de 2.500 páginas de documentos e milhares de linhas de dados de pagamento até o momento. Também fizemos vários pedidos recentes para que os defensores públicos participem de uma reunião conosco para atender às solicitações deles. Até o momento, nenhuma reunião foi realizada. Por isso, ficamos muito desapontados ao ver o Departamento de Emprego e Habitação da Califórnia alegando que Riot Games não cooperou com as investigações. Estamos confiantes de que fizemos um progresso substancial na diversidade, inclusão e cultura da empresa e esperamos continuar demonstrando isso para a comunidade”.