Share Button

Alguém ainda se lembra do infame “Mortal Kombat vs. DC Universe”? Foi o crossover mais aleatório da franquia, no qual apresentou combates peculiares entre personalidades que nunca sonharam em se cruzar, como Batman x Scorpion.

Sendo um dos últimos títulos com jogabilidade focada no sistema em 3D, devido aos problemas de licenciamento da DC, boa parte da violência tradicional da franquia de videogames ficou de fora.

Porém, você sabia que esse quase esquecido título foi o responsável pela continuidade bem-sucedida iniciada por “Mortal Kombat 9”? Antes que alguém se descabele tentando entender o porquê, nós explicamos.

Apesar de todos os problemas encontrados no título produzido em uma parceria entre a NetherRealm Studios e a DC Comics, algo muito importante foi implementado naquela época: o elogiado foco cinematográfico no enredo.

A franquia “Mortal Kombat” sempre teve uma história bastante complexa, pelo menos se compararmos com seus concorrentes diretos; contudo, problemas de narrativa foram encontrados em várias das suas tentativas de desenvolver um conto sangrento e intrigante.

Quem não se lembra da ousada morte de Liu Kang, em Deadly Alliance, somente para explorarem mais o assunto na abertura do produto, ou mesmo em curtos trechos com a trama oferecida durante alguns modos. A ferramenta de narrativa oferecida até então, o “Konquest”, tentava se reinventar cada vez mais, mas muitos jogadores não gostavam da experiência iniciada na geração do PS2.

Tratava-se de um sistema que tentava simular uma aventura em mundo aberto, mas se combinarmos as limitações técnicas da época com a estrutura truncada oferecida pela desenvolvedora, é fácil de entender o motivo de terem refeito tudo do zero.

Com a dinâmica apresentada em “DC Universe”, a narrativa era dividida em capítulos, e o foco em apenas lutar e assistir foi amplamente aprovado pelos fãs. Aos poucos, a modalidade foi sendo expandida para os futuros lançamentos da companhia, como “Injustice” 1 e 2 e “Mortal Kombat” X e 11.

Atualmente, uma das características que mais agrada os jogadores, fora a jogabilidade apurada, os gráficos modernos e a violência brutal, é justamente o Modo História. Possibilitando manter o foco na proposta do título, suas lutas, e sempre expandido sua trama repleta de viagens no tempo, traições e agressividade, a formula balanceada finalmente foi encontrada e desenvolvida pela NetherRealm Studios.

Com lançamento agendado para 23 de abril, a décima primeira edição do torneio mais mortal dos videogames chegará para PC, Xbox One, PlayStation 4 e Nintendo Switch.